5 Tipos de calvície masculina

Repentinamente, você começa a perceber que seus cabelos estão caindo mais frequentemente e não tem havido uma renovação de fios. A diminuição parcial ou total de fios é conhecida como calvície ou alopecia. Tal fenômeno pode ter sua ocorrência detectada em qualquer região do corpo, na qual haja pelos. O grande diferencial que ocorre é que se convencionou chamar de calvície apenas a ocorrida no couro cabeludo, contudo é passível de ser um termo relacionado a qualquer outra região do corpo na qual haja perda de pelos.

É comum que grande parte das pessoas perca entre 50 e 100 fios de cabelo diariamente. Na maioria das vezes um fio cai e é substituído por outro, que nasce exatamente no mesmo folículo do anterior.

Durante a velhice, esse ciclo de crescimento fica mais lento até parar de uma vez e o resultado é a calvície. A queda de cabelo possui várias causas. Entre as principais estão: alterações hormonais, tendência genética, dieta, medicamentos.

Como a calvície começa?

A calvície não é uma queda repentina dos cabelos. Não acontece do dia para a noite. O que ocorre é a miniaturização progressiva dos fios, isso significa que os fios grossos tornam-se finos e curtos. Durante a evolução do processo, ainda há a mesma quantidade de raízes vivas, mas com fios menores e mais fracos e aumentando a visibilidade do couro cabeludo. Nessa fase, as pessoas percebem que estão com menos cabelos.

Há vários tipos de calvície masculina? Quais são?

calvície masculina

Conhecida como “entradas” é o primeiro sinal do início da calvície. A evolução acomete toda a superfície do couro cabeludo.  A calvície masculina foi dividida em sete tipos principais, de acordo com Hamilton-Norwood. Conheça alguns desses tipos.

Calvície de padrão masculino

Esse tipo é conhecido como calvície de padrão masculino porque é mais comum ser encontrada no sexo masculino do que no feminino. Chamada também de Alopecia Androgenética é causada quando o hormônio testosterona – presente majoritariamente no organismo do homem – é transformado em dihidrotestosterona (DHT). Sua ação é centrada bem no folículo do cabelo, diminuindo a produção de fios de cabelo, além de fazer os que nascem ficar mais finos e bem mais enfraquecidos. Desse modo, a tendência é a de que a produção de novos fios nos folículos acabe parando por completo. Tal quadro não se desenvolve apenas por conta de questões hormonais, mas também pode ter sua origem em condição hereditária, ou seja, tudo contribui para o surgimento desse tipo de calvície, que se caracteriza pela perda de cabelo nas regiões frontal e na coroa do couro cabeludo.

Alopecia areata

Outro tipo de calvície masculina é a alopecia areata. As características são perda de cabelo em uma região determinada, ocorrida de forma repentina, mas que tende a crescer de volta depois de algum tempo, geralmente meses. A causa desse tipo de calvície ainda é desconhecida por especialistas. Uma corrente crê ser devido a uma doença autoimune.

Alopecia tóxica

A alopecia tóxica (calvície tóxica) é mais uma dentre as possibilidades de perda de fios dos homens. Pode ocorrer depois de crises como as de febre alta ou de doença que seja grave. Também é favorecida mediante doses aumentadas de alguns medicamentos que, dentre outros elementos, contenham,  tálio, vitamina A ou ainda retinoides. Nesse caso, também há uma perda de cabelo apenas temporária.

Alopecia cicatricial

Afeta locais nos quais existem cicatrizes de ferimentos, queimaduras e outros, onde possa ocorrer infecções por fungos ou bactérias podem impedir o crescimento de fios de pelos em volta.

Alopecia universal

É o tipo mais crítico de calvície, na qual ocorre uma severa perda de, simplesmente, todos os pelos do corpo, incluindo cabelos. Isso provoca muitos transtornos de cunho emocional no indivíduo. Muitas vezes, será necessária a assistência de um especialista na área de dermatologia, para uma assessoria competente.

Como tratar a calvície masculina

Tristemente, grande parte dos tipos de calvície aqui relacionados ainda não possui uma cura conhecida. A utilização de injeções de corticoides tem sido bastante útil, mais especificamente para tratar da alopecia areata. Determinados medicamentos, bastante famosos, como é o caso tanto do minoxidil quanto da finasterida têm sido recorrentes para fazer a estimulação do crescimento do cabelo, mas só apresentando resultados em uma porcentagem ínfima de pessoas. Há ainda pessoas que recorrem ao transplante de cabelo. Nossa sugestão é o uso de maquiagem capilar e de tratamentos cosméticos e dermatológicos, em paralelo. Assim, você trata o fundo do problema, ao mesmo tempo em que cuida para que sua aparência não seja afetada por tais questões.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close