10 melhores tipos de tratamento contra calvície feminina

Nossa sociedade, muitas vezes, associa à figura feminina uma imagem de cabelos longos, saudáveis e sedosos. Por existir uma cobrança estética muito maior que a dos homens nesse sentido, a calvície e a queda de cabelo feminina são problemas raros, mas muito traumáticos e difíceis de serem encarados.

Calvície feminina

A calvície, assim como a queda de cabelo, principalmente em sua forma crônica é um problema que pode ser desencadeado por uma série de fatores.

No caso das mulheres, o surgimento desse tipo de problema é mais incomum e raro. Em sua grande parte, em ambos os gêneros, a calvície é relacionada a um fator genético ligado ao cromossomo X, que se encontra duplicado no código genético feminino, o que explica sua menor ocorrência.

A produção de testosterona em excesso também pode ser associada ao agravamento dos quadros de calvície, o que também explica o fato de mais homens serem acometidos pela calvície. Alguns casos de calvície feminina são desencadeados por cenários de desequilíbrio hormonal, podendo ser ligados à presença excessiva deste hormônio no corpo.

No caso das mulheres, são mais comuns quadros de queda e afinamento de cabelos do que de calvície. A queda de cabelo e a calvície são comumente relacionadas ao estresse, problemas de ansiedade, desordens e disfunções hormonais, utilização inapropriada de produtos cosméticos, efeitos colaterais medicamentosos, dieta e nutrição inadequados.

Quadros mais grave, geralmente ligado à calvície, muitas vezes são ligados à alopecia (em suas várias formas de manifestação), effluvium (problema ligado à foliculite capilar), entre outros.

10 melhores tratamentos contra calvície feminina

Identificando o problema

Antes de se realizar qualquer tipo de tratamento no sentido, certifique-se qual a causa do problema. A consulta a um profissional especializado é fundamental e deve ser o primeiro passo dado para se solucionar esse tipo de problema.

Problemas e desordens funcionais só podem ser diagnósticos por meio de exames especializados e analisados por profissional qualificado.

Os profissionais indicados para realizar consultas no caso de calvície são os tricologistas, clínicos gerais, endocrinologistas, dermatologistas e os clínicos gerais.

Tratamentos contra calvície feminina

Vitaminas

Muitas vezes, principalmente quando causada por estresse e deficiências alimentares, questões ligadas a problemas com absorção de minerais e também em quadros anêmicos, a administração por via oral de vitaminas pode se mostrar como um tratamento extremamente benéfico em casos de queda de cabelo e calvície.

Finasterida

Ministrada por via oral (comprimidos), é uma das formas mais indicadas hoje em dia. É indicada em casos de queda de cabelo e para se evitar a calvície, haja vista que não está relacionada ao crescimento de novos fios.

Dutasterida

Também administrado por via oral, inibe a produção do hormônio masculino relacionado à calvície (dihidrotestosterona  – DHT).

Cortisona

A substância também tem se mostrado muito popular no tratamento da calvície e queda de cabelo em ambos os gêneros. A sua utilização pode ser por via oral, tópica ou mesmo por intermédio da aplicação de injeções de couro cabeludo nas chamadas “manchas” de calvície.

Antagonistas dos receptores androgênicos

Nesse caso, são utilizadas três substâncias: a flutamina, a espirolactona e o acetato de ciproterona. Impedem a sintetização da testosterona em dihidrotestosterona (DHT), o que faz com que a produção excessiva deste hormônio seja controlada, evitando assim problemas relacionados à calvície e queda de cabelo. Por se tratarem de medicamentos que envolvem o sistema hormonal, devem ser administrados com muita parcimônia e sob supervisão médica, somente após a realização de exames adequados.

Anticoncepcionais

Muitas vezes, o aparecimento de problemas de calvície e queda de cabelo, pode ser associado a disfunções da produção de estrogênio, ovários policísticos e outros problemas ligados à produção de hormônios. Nesse caso, para se realizar o balanceamento da produção hormonal, algumas vezes indica-se a administração de medicamentos anticoncepcionais. Lembre-se que esse tipo de medicamento só pode ser receitado por médico autorizado.

Imunoterapia

Nesse caso, a difenilciclopropenona (também conhecida como difenciprona) e o ácido éster escuárico dibutilo são utilizados na pele. Há outros tratamentos também denominados “imunoterapia” que consistem na aplicação do próprio sangue do paciente em si.

Tal prática é aconselhável principalmente em quadros de desordem imunológica e quadros inflamatórios, uma vez que o tratamento consiste em inibir esse tipo de problema. Não se esqueça de consultar um médico.

Laser de baixa fluência

Esse tipo de tratamento tem sido popularizado ao longo dos últimos anos e consiste na emissão de ondas de baixa fluência na região afetada. O laser de baixa fluência (conhecido também como LLLT ­– Low Level Laser Therapy) age nos folículos capilares, estimulando a multiplicação das células. A promessa é que a sua ação faça com que os cabelos cresçam mais e com maior velocidade.

Fototerapia

O tratamento, muito popular hoje em dia, consiste na aplicação local de focos de luz ultravioleta e de psoraleno, de modo a tratar fios enfraquecidos. Age também no sentido de além de estimular o couro cabeludo, evitando assim a perda de cabelo.

Transplantes capilares

São utilizados na forma de enxertos, retiradas de áreas com maior densidade capilar e inseridas na parte afetada. No caso da calvície feminina, como o problema geralmente é distribuído mais difusa, não costuma ser uma opção tão viável.

Continue acompanhando o blog. Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close