Quais os X tipos de alopecia?

A queixa da queda de cabelo tem se tornado cada vez mais frequente nos consultórios médicos.  As principais causas são fatores como estresse, alimentação irregular, uso de produtos químicos e pranchas.  Porém, pode haver alguma doença causadora da queda de cabelo.

Normalmente, o médico utiliza o termo científico “alopecia” ao invés de “queda de cabelo” no prontuário. Assim, você perceberá que ao longo do texto usaremos mais a palavra alopecia . Abordaremos sobre o ciclo normal do cabelo e a divisão entre alopecia cicatricial e não cicatricial.

Como é o ciclo normal de cabelo?

Existem três fases em que cada folículo produz um número de cabelos durante um tempo de vida:

  • Fase Anágena ou fase de crescimento no couro cabeludo: dura entre três e cinco anos e o cabelo cresce cerca de 1 cm por mês. A duração da fase anágena varia de pessoa para pessoa e determina o tamanho que o cabelo vai crescer se não forem cortados. Normalmente, cerca de 85% dos folículos está na fase anágena.
  • Fase Catágena ou fase de involução: segue a fase anágena, quando cessa a divisão celular no bulbo piloso e ocorre a involução que dura cerca de duas semanas.
  • Fase Telógena ou fase de repouso: dura cerca de três meses. O cabelo permanece no folículo, mas não cresce e, em 2 a 3 meses, em média, é descartado. No final da fase telógena o folículo inicia a produção do novo cabelo anágeno que desloca o antigo e este é descartado

Afinal, o que é Alopecia?

É um termo utilizado para todos os tipos de queda de cabelo temporária ou permanente, localizada ou como difusa, do couro cabeludo ou de qualquer parte do corpo. Há muitas coisas que podem causar queda de cabelo, inclusive medicamentos ou deficiência de ferro. Confira os tipos de Alopecia.

Alopecia cicatricial:

Quais os X tipos de alopecia?

Alopecias cicatriciais são comumente causadas por inflamação que resulta na destruição permanente do folículo piloso levando à queda de cabelo de modo irreversível. As causas da destruição do folículo piloso incluem infecção fúngica, produtos químicos como alisantes e relaxamentos, uso de secador de cabelos e prancha, dentre outros.

Alopecia não cicatricial:

As alopecias não cicatriciais são causas mais comuns de queda de cabelo do que as alopecias cicatriciais e incluem a alopecia androgenética padrão masculino e feminino, a alopecia areata, o eflúvio telegénico, o eflúvio anágeno e a tricotilomania, além de outras condições menos comuns.

Às vezes, doenças como sífilis secundária, doenças da tireoide, e lúpus eritematoso sistêmico podem causar queda de cabelo por alopecia não cicatracial.

As alopecias não cicatriciais também ocorrem com o envelhecimento natural, esse tipo de queda de cabelo é conhecido como a alopecia senescente.

Alopecia areata:

Afeta homens, mulheres, adultos e crianças. Há geralmente uma área redonda ou oval com a pele normal e lisa (aspecto de bola de bilhar) desprovida de cabelo. O cabelo perdido geralmente cresce novamente sem maiores problemas.  A causa desse tipo de alopecia é desconhecida, mas existe uma predisposição genética.

Eflúvio Telógeno:

Ocorre perda de cabelo por uso de algum medicamento, por deficiência nutricional de ferro ou zinco, gravidez e parto, hipotireoidismo  e hipertireoidismo, estresse, trauma grave ou doença febril aguda.

Eflúvio Anágeno:

Queda de cabelo que ocorre devido à exposição de substâncias como as drogas utilizadas pela quimioterapia para o tratamento do câncer.

Tricotilomania:

Perda de cabelo autoinduzida, ou seja , o ato de arrancar cabelo e  mexê-lo de forma inconsciente ao fazer redemoinho com o dedo.

Tipos de Alopecia Androgenética em Homens e Mulheres:

A alopecia androgenética masculina é caracterizada pela perda dos cabelos na parte frontal (têmporas/entradas) e no vértice (parte superior da cabeça) e pode ou não evoluir ao longo do tempo. Também conhecida como calvície, esse tipo de queda de cabelo é herdada de um ou ambos os pais.

Nas mulheres o padrão da alopecia é mais variável, mas ocorre na maioria dos casos rarefação dos cabelos no topo e na região da coroa. Há afinamento difuso do fio de cabelo.

No entanto, esses padrões de queda de cabelo não são exclusivos de cada sexo. Um homem pode ter perda de cabelos com padrão feminino e uma mulher pode ter perda de cabelos com padrão masculino.

Tanto em homens e mulheres não é o aumento do nível de testosterona que leva à queda de cabelo e sim à presença de receptores à testosterona nas áreas afetadas.

A queda de cabelo na mulher pode estar relacionada ao aumento anormal dos andrógenos, devido à presença de ovário policístico ou doença rara maligna que produza hormônios masculinos. A mulher deve observar se a alopecia está acompanhada de outros sinais como irregularidade do ciclo menstrual, aumento de pelos no corpo, presença de acne na mandíbula e seborreia. Normalmente a alopecia ocorre após a menopausa, devido à diminuição dos hormônios femininos.

Diante do exposto, salientamos que é importante que a pessoa procure um médico para dar o diagnóstico e tratamento corretos. O tratamento irá variar conforme a causa e, a melhora dependerá da mudança de hábito em como manipular seu cabelo e de uma alimentação saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close