Qual a relação entre estresse e calvície?

Existe uma relação interdependente entre estresse e calvície, isso é um fato. Entretanto, a calvície não é provocada apenas pelo estresse, mas é bastante influenciada por isso, uma vez em que há uma descarga emocional muito grande que pode afetar não só os fios, mas o nosso organismo como um todo.

O estresse pode acabar com a nossa calma e com a própria concentração para atividades no nosso dia a dia. A partir do momento em que ficamos estressados, tendemos a ficar irritados e sem paciência para mais nada. Resumindo, o estresse impede que sejamos mais produtivos, acerca de nossas tarefas diárias, atrapalhando as nossas relações sociais e pessoais, seja no trabalho, na escola ou em casa. Com isso, o estresse pode afetar a saúde capilar, isto é, os nossos fios de cabelo. Você sabia disso?

Quando passamos por uma situação extremamente estressante, a tendência é os fios caírem. Mas, antes que você possa diagnosticar que o estresse é a única causa da queda capilar, saiba que a queda de 50 a 100 fios por dia é considerada normal e padrão por dermatologistas e especialistas capilares.

A relação existente entre o estresse a calvície

O estresse libera o hormônio cortisol na nossa corrente sanguínea, fazendo com que a fixação dos fios fique danificada, uma vez que o cortisol é o hormônio do estresse e, como tal, desregula o funcionamento do organismo e aumenta os batimentos cardíacos. Na questão da queda capilar, é preciso tomar muito cuidado para verificar se os fios que caíram estão crescendo novamente ou é caso de pré-calvície. Sendo assim, é necessária constante observação da região.

O principal fator que o estresse pode desencadear na perda dos fios é a falta de circulação no couro cabeludo, em que os fios não estão sendo desenvolvidos corretamente por causa do mau funcionamento da corrente sanguínea. Por isso mesmo, existem alguns tratamentos que envolvem massagem capilar para estimular a região e agilizar o crescimento dos fios.

Qual a relação entre estresse e calvície?

Além disso, a tendência é a dos fios nasceram mais fracos devido à desregulação hormonal. Caso você já tenha percebido isso, é recomendado que tente diminuir o estresse ou até mudar o estilo de vida, realizando alguma atividade física prazerosa e, dependendo do caso, mudar de emprego, ou até mesmo fazer tratamentos mais invasivos.

O estresse também pode afetar o nosso humor, evidentemente, mas também o nosso sono e apetite. É como se uma ação desencadeasse tudo, por isso a necessidade de verificar se o estresse pode ser a causa da sua calvície por conta da falta de apetite ou ausência de algum nutriente da sua alimentação.

Cabelo do ponto de vista fisiológico

Aliás, você sabia que do ponto de vista fisiológico, o cabelo não é tão importante para o organismo? Logo, o próprio corpo, sem situações estressantes tende a direcionar as proteínas e nutrientes para áreas que são mais necessitadas.

Além disso, quando estamos estressados, produzimos uma substância chamada estriol, capaz de evitar que os nutrientes cheguem até a raiz capilar, impedindo assim que os fios voltem a crescer e impedindo que aqueles fios já existentes, cresçam saudavelmente.

Doença detectada: alopecia areata

Algo que está relacionado entre o estresse e a calvície é a alopecia areata. Essa doença está conectada com a queda capilar. Se você passou por um período difícil e muito estressante, pode ser que apenas três meses depois você sinta os efeitos no organismo, nesse caso no couro cabeludo: trata-se da alopecia areata. O diagnóstico deve ser feito imediatamente para evitar que a perda de fios seja permanente.

Então, se perceber a queda constante dos fios tente encontrar a causa, revisitando o seu passado, de modo que o tratamento possa ser mais pontual e eficaz. Dependendo do caso, é possível que seja apenas uma fase, como se a queda dos fios fosse uma consequência. Assim, podem-se utilizar produtos específicos que fortaleçam o couro cabeludo e evitando, assim, a calvície.

Prevenções

Existem muitas formas de você cuidar do seu cabelo e ter como vencer a calvície. Uma delas é o alongamento em que é responsável pelo crescimento dos fios de forma saudável. Já para controlar a ansiedade e o estresse, técnicas de relaxamento e a prática de atividade física são os tratamentos mais recomendados para que os seus fios não sejam afetados.

Além disso, não se pode esquecer que, a partir do momento que for notada a queda dos fios é preciso consultar-se com um dermatologista especializado em calvície para estudar e analisar o seu caso.

E em relação ao estresse, saiba que é você a responsável pelo seu dia a dia, logo, quando sentir-se em esgotamento e perceber os sintomas, sugere-se que você busque ajuda ou mude a sua rotina, tentando relaxar mais e esquecendo um pouco dos problemas que não precisam da sua atenção 24 horas por dia.

Agora que você já sabe qual a relação entre estresse e calvície, não deixe a rotina atrapalhar o seu bem-estar e dos seus fios, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close