Medicamento para artrite: aliado combate à calvície?

A calvície é um problema recorrente para muitas pessoas. Seja por conta da baixa imunidade ou outros fatores, pode atrapalhar muito o convívio social e as relações interpessoais. Entretanto, existem muitos tratamentos de combate à calvície que prometem melhorar a qualidade de vida e aumentar a autoestima desses indivíduos. E a mais recente pesquisa científica mostrou-se muito promissora. Veja mais no post de hoje.

A pesquisa foi desenvolvida por duas universidades norte-americanas, Stanford e Yale, e publicada no periódico científico Journal of Clinical Investigation Insight. O seu propósito era confirmar a capacidade de o medicamento para artrite ser aliado no combate à calvície. E os resultados foram surpreendentes.

Entretanto, vale a pena ressaltar que a pesquisa se baseou na calvície causada pela Alopecia Areata, uma doença autoimune. Por isso, conheça mais sobre essa condição para então observar o que a pesquisa demonstrou.

O que é Alopecia Areata?

Ainda não se sabe a causa para tal doença, porém está vinculada ao sistema imune. Muitos indivíduos acabam percebendo a queda brusca dos cabelos (e também em outras regiões do corpo), caracterizando assim a alopecia areata. Há investigações que atestam que a doença pode estar conectada a uma pré-disposição genética, todavia, não foi comprovado.

A queda do cabelo é perceptível e pode ser em uma extensão pequena ou total (todo o couro cabeludo) ou universal (corpo inteiro). Além disso, é comum que o cabelo volte a crescer, mas torne a cair.

Cada caso pode ser diagnosticado de uma maneira diferente. E a doença alopecia areata não é contagiosa. E como qualquer outra enfermidade, fatos emocionais e externos podem agravar os sintomas e prejudicar o sucesso do resultado do tratamento.

Medicamento para artrite pode ser aliado no combate à calvície?

É recomendado que a partir do momento em que a pessoa perceber a queda dos fios de cabelo procure imediatamente um profissional qualificado, de modo que o tratamento possa ser iniciado rapidamente.

Dessa forma, o quadro pode ser reversível ou diminuído. É importantíssimo relembrar que não se deve, jamais, pausar o tratamento sem ordens médicas, uma vez que o quadro pode piorar ou se agravar mais ainda.

É reconhecido que o dano principal que essa doença faz é de ordem psicológica. O indivíduo perde a sua autoestima e se sente envergonhado para sair de casa sem a utilização de uma peruca ou um chapéu, boné, para cobrir a calvície.

Para as situações cotidianas, o simples fato de ir ao supermercado ou trabalhar pode ser devastador para a mente. Com isso, a pessoa fica introspectiva, mais tímida e apresenta, inclusive, quadros depressivos. Por isso, há a necessidade de buscar por um tratamento e acompanhamento psicológico para que a doença não atrapalhe o dia a dia.

E com a pesquisa divulgada recentemente há uma nova luz para esses pacientes que estão sofrendo com a alopecia areata e querem eliminar calvície.

O resultado da pesquisa em relação ao combate à calvície

Os pesquisadores selecionaram 66 pacientes que têm alopecia areata e pediram que tomassem 5 mg do medicamento Xeljanz duas vezes ao dia. É utilizado para combate à artrite, uma doença também autoimune.

Passados 3 meses, houve uma melhora significativa em metade dos indivíduos, relatando que o cabelo começara a crescer novamente e que, inclusive, a autoestima já havia melhorado por causa disso.

Foi constatado que o medicamento Xeljanz retarda o ataque do próprio sistema imunológico do paciente ao couro cabeludo, mais precisamente.

Mesmo que os resultados tenham sido promissores, infelizmente só foram testados em pacientes que têm a doença autoimune alopecia areata. Logo, não se sabe se nos outros casos de calvície o tratamento será eficaz também. Aliás, como foi realizada apenas uma pesquisa-teste, não se sabe se a alopecia areata será curada por completo com o uso do Xeljanz. São necessárias mais pesquisas e testes a longo prazo para atestar essa possibilidade.

Uma curiosidade interessante em relação a esse tratamento é que, quando os fios começam a crescer novamente são condizentes com a idade da pessoa. Então, dependendo da idade, os fios podem nascer mais escuros, mais fracos, mais opacos e assim por diante.

Os pesquisadores estão desenvolvendo outra pesquisa para testar uma pomada de uso tópico no couro cabeludo dos homens que sofrem da calvície provocada pela idade. Caso os resultados sejam efetivos, a pomada pode retardar a calvície e estimular o couro cabeludo a produzir mais fios fortes. A pomada também seria Xeljanz. Porém, há dermatologistas que não gostam da ideia, enquanto outros confirmam a teoria.

Sabe-se que a calvície pode trazer problemas pessoais para as pessoas. Mesmo que a calvície esteja relacionada mais a parte estética, muitos pesquisadores procuram apoio para eliminar calvície e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos que sofrem diariamente com essa condição.

Sempre lembrando: não se automedique! Procure sempre um profissional para lhe indicar o melhor tratamento ao combate à calvície!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close