Por que você tem queda de cabelo? – Parte III

Por que você tem queda de cabelo? Na nossa série de artigos, estamos explorando esse tema em profundidade. Veja aqui a parte I e a parte II.

Acompanhe agora mais algumas possibilidades de justificar a sua queda de cabelo.

Deficiência de vitamina B

A falta de vitamina B pode causar queda de cabelo. As vitaminas de complexo B são responsáveis pela manutenção da saúde emocional e mental do ser humano. Não existe reserva natural de vitamina no corpo humano, por isso é necessário ingerir esse composto diariamente.

A vitamina B também ajuda a manter a saúde dos nervos e facilita a digestão de nutrientes e absorção de carboidratos. Além da calvície, outros sintomas da falta desta vitamina no corpo são cansaço e alterações no sono, depressão, perda de apetite, náuseas, diarreia, tremores, dor de cabeça e pele flácida.

Assim como no caso de anemia, a suplementação é o suficiente para resolver o problema. A ingestão diária do complexo B garantirá o crescimento de um cabelo saudável. Você pode comprar suplementos específicos de cada tipo de complexo B ou ingerir alimentos ricos em vitamina B, presente, por exemplo, em carnes vermelhas e brancas, ovos, germe de trigo, brócolis, batata, tomate, leite e cereais.

queda de cabelo

Perda de cabelo autoimune

Também conhecida como alopecia areata, a perda de cabelo autoimune ocorre quando o sistema imunológico do corpo identifica os fios de cabelo como elementos estranhos e os ataca, enfraquecendo a raiz e causando a calvície como resultado. A alopecia areata também pode afetar outras partes do corpo, causando queda de pelos. Em alguns casos, ocorre perda total, até mesmo dos cílios.

Outros sintomas da alopecia areata são coceira na área em que ocorre a queda de cabelo/pelos e sensação de queimação na pele. Ainda não se sabe sua causa, porém é certo que o alvo principal são as estruturas de formação do pelo. Uma em cada cinco pessoas com alopecia areata possui histórico familiar desse tipo de calvície.

A doença também é associada a eventos traumáticos e estresse. É uma das doenças de pele mais relacionadas com fatores psicológicos do paciente. O combate à calvície areata pode ser realizado diariamente por meio de injeções de esteroide na área afetada. Minoxidil também pode ser usado. O curso do tratamento é imprevisível. Mesmo que o cabelo volte a crescer, é possível que ele caia de novo.

Lúpus

Outra doença autoimune, o lúpus também causa queda de cabelo. Assim como na alopecia areata, células imunes atacam o cabelo por acharem que os fios são intrusos no organismo. Diferente da areata, cabelo perdido em consequência do lúpus nunca mais pode ser recuperado, então procure um médico o mais rápido possível para evitar grandes problemas.

Quando o lúpus afeta apenas a pele, danificando fios, é chamada de lúpus discoide. Se for lúpus sistêmica, ataca os vasos sanguíneos, coração e pulmões, o que pode piorar a perda de fios considerando que a circulação de sangue no couro cabeludo é essencial para a saúde do cabelo.

Não existe muito que possa ser feito para evitar a calvície quando a causa é o lúpus. Se você não tiver perdido fios demais, é possível usar penteados diferentes que escondam os buracos no couro.

Perda de peso repentina

A perda drástica de peso é um tipo de trauma físico que pode resultar no afinamento dos fios e futura queda dos cabelos. Isso pode ocorrer mesmo que  agrade ou seja boa para você. É possível que esta situação esteja estressando seu corpo. O declínio do peso também é um alerta a deficiências de minerais necessários na preservação da saúde do cabelo.

A perda de peso repentina somada à queda de fios às vezes pode ser sinal de anorexia ou bulimia. Normalmente, quando essa perda de peso acontece, a calvície dura seis meses e depois o cabelo volta a crescer normalmente. Caso o cabelo não volte a crescer, procure um médico e faça uma dieta rica em nutrientes que recuperem a saúde da raiz.

Quimioterapia

Algumas das drogas utilizadas para combater o câncer infelizmente causam a queda de cabelo. Por causa disso, o câncer é normalmente associado à careca, mesmo que a própria doença não seja a responsável pela calvície. Quando a quimioterapia é iniciada, o composto não ataca apenas as células cancerosas, como também  as células saudáveis, incluindo as do couro cabeludo.

A radioterapia, outro tratamento contra o câncer, pode ocasionar a queda dos fios. Porém, como é um tratamento diferente da quimioterapia, a calvície não ocorre em todas as células capilares ao mesmo tempo. Em vez disso, a queda de cabelo é localizada. Somente a área afetada pelas células cancerosas é atingida durante o tratamento, que utiliza raios de alta energia.

Tanto na quimioterapia quando na radioterapia, assim que o tratamento é encerrado, a calvície acaba e os cabelos voltam a crescer naturalmente.

É importante lembrar que as dicas dadas no artigo, não substituem a avaliação médica.

Então, o que está achando da nossa série de artigos sobre queda de cabelo? Deixe sua opinião nos comentários! Continue com o blog e até breve, com a parte IV!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close