Por que testosterona provoca calvície?

Conseguimos perceber só de olhar: a calvície aparece antes, e com maior frequência, em homens do que em mulheres. Por isso, a crença popular é que um nível mais alto de testosterona provoca calvície, mas seria essa realmente a realidade, ou apenas mito?

Por que testosterona provoca calvície?

Diferentes tipos de testosterona

Testosterona existe no corpo masculino sob diferentes formas. Existe testosterona “livre”, que não é associada a proteínas no organismo; essa é a forma de testosterona mais disponível para agir em todo o corpo. Existe, de forma parecida, testosterona ligada a proteínas do sangue, estando também diretamente relacionada à vida sexual.

Dihydrotestosterona (DHT), a testosterona que provoca calvície

É feita a partir da testosterona por uma enzima (5-alfa-redutase), e é o tipo que provoca calvície. A DHT é 5 vezes mais forte que testosterona comum, e é usada pelo corpo na próstata, pele, e, é claro, folículos capilares.

Como a testosterona age provocando a calvície

DHT é fundamental para o crescimento de pelos em todo o corpo, exceto cabelo, que se mostra extremamente sensível ao hormônio. Pouco se sabe sobre a ação direta do DHT, mas o que é conhecido é que a queda ocorre por grande sensibilidade dos fios a esse composto. Inclusive, cientistas apontam pré-disposição genética como causadora de variações na calvície.

 Homens são os únicos que sofrem com a calvície provocada pela testosterona?

Mulheres também podem sofrer com o mesmo problema, visto que possuem testosterona em seu corpo, apenas em quantidades menores.

DHT é sintetizado nas mulheres através de um hormônio apelidado de DHEA (deidroepiandrosterona). Entretanto, a calvície ocorre de variadas formas em mulheres, e cientistas ainda tentam descobrir quais enzimas, hormônios e bloqueadores provocam calvície feminina provocada por testosterona.

Calma, DHT é benéfico!

Sim! Apesar de ser uma das causas da calvície, a testosterona é fundamental, assim como sua “versão mais intensa”. O DHT também age no resto do corpo e na próstata, evitando problemas como hipertrofia na região. DHT em falta também causa perda de pelos no resto do corpo, inclusive na barba, região que homens costumam tratar com muito carinho.

A genética gera mais impacto na calvície que a testosterona

Não é a quantidade de testosterona ou DHT que provoca a calvície, mas sim a sensibilidade dos folículos capilares aos hormônios. O gene AR (receptor andrógeno)  determina como os receptores em folículos capilares interagem com a testosterona; ou seja, receptores mais sensíveis à testosterona provocam calvície.

O que isso significa?

A melhor forma de saber se ocorrerá a calvície causada por testosterona é então observar os fatores genéticos. Olhe em volta: se há pessoas calvas em sua família, já vá planejando formas de contra-atacar a calvície!

Porém não se assuste, é algo comum desde que existimos; não há porque se sentir mal ao buscar formas de prevenção ou “disfarce”.

Mitos sobre a calvície provocada pela testosterona

A quantidade de mitos sobre a testosterona provocando calvície é enorme,  o principal é que homens com maior perda de cabelo são mais viris, possuindo maiores níveis de testosterona. A realidade é que homens com maior perda de cabelo podem ter níveis até menores de testosterona, mas maiores da enzima que converte testosterona em DHT, desmentindo o mito. É claro que calvície não é indicativo de virilidade!

Tratamentos hormonais

Estas descobertas levaram muitos a buscarem tratamentos hormonais de diferentes tipos, existem no mercado diversas drogas inibidoras de enzimas que convertem testosterona em DHT, esses tipos de tratamento ainda oferecem riscos grandes para o organismo e nunca devem ser considerados sem o devido acompanhamento médico.

Riscos contidos em tratamentos hormonais para a calvície causada pela testosterona

Drogas que afetam o funcionamento do corpo desta forma devem ser levadas a sério, podendo causar efeitos colaterais como:

  • Dificuldades em atividades sexuais tanto para homens quanto mulheres;
  • Riscos para mulheres grávidas;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Mudanças na aparência dos pelos pelo corpo inteiro, não só no couro cabeludo.

Alternativas para o tratamento hormonal

Muitos buscam então outras formas de contra-atacar a calvície provocada pela testosterona, métodos comuns atualmente são transplantes e maquiagem capilar, quais são as diferenças?

Prevenção

Uma alimentação saudável e exercícios físicos frequentes estabilizam o funcionamento do organismo, incluindo a produção de hormônios e enzimas. Evitar stress em excesso também ajuda quem quer evitar a calvície.

Maquiagem capilar

Forma mais rentável e direta de “engrossar” e tornar os fios mais densos. Tratamento cosmético para todas as formas de calvície, de fácil aplicação e remoção, agrada muitos que decidiram enfrentar de cara a calvície.  Conheça uma ótima opção de maquiagem capilar aqui.

Implante e transplante capilar

Alternativa mais cara, variando entre R$5 e R$15 mil, também mostra resultados, apesar do preço; inserindo fios artificiais (implante) ou de outras áreas do corpo (transplante) no couro cabeludo de quem busca livrar-se da calvície provocada por testosterona.

  Conte a sua experiência sobre calvície e testosterona

Já fez tratamento hormonal para calvície provocada por testosterona? Recomenda, ou acha muito arriscado, preferindo tratamentos cosméticos? Comente sobre, compartilhe suas experiências!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close