O que é eflúvio anágeno?

Você sabe o que é um eflúvio? Sabe o que é eflúvio anágeno? Você sabe como o nosso fio é construído? Você sabe o que é cutícula, córtex e medula? Neste artigo vamos falar tudo sobre fios capilares e eflúvio anágeno. Envolverá pontos como suas causas, os seus sintomas, tratamentos e como se prevenir.O que é eflúvio anágeno

O fio de cabelo

Um fio de cabelo é formado por três partes: cutícula, córtex e medula. Cada uma dessas partes possui uma função na anatomia do fio. A cutícula é a parte externa dos fios, aquela que conseguimos ver. A sua função é de proteger as camadas internas do fio, além de ser responsável pela sua textura e pelo seu brilho.

Tratam-se das “escamas” do cabelo. Tem esse nome por lembrarem escamas de peixe. Quando estão em bom estado, ficam alinhadas, fornecendo maciez. Quando estão desalinhadas e sobrepostas, possuem a tendencia de se agarrar uma nas outras dando a sensação de aspereza e ausência da maciez. A cutícula capilar também é responsável pelo brilho dos cabelos, quanto mais lisa e plana, mais brilho os fios terão.

O córtex capilar

O córtex é a camada interna do fio e foi chamada de “coração do cabelo”, pois representa 90% do fio e é responsável pela espessura e volume. O córtex é constituído quase que totalmente por proteínas e pelos grânulos de melina, que nada mais são que pigmentos que definem a tonalidade dos cabelos.

O córtex também é responsável pelas funções mecânicas de cada fio, como a permeabilidade, elasticidade e resistência. Já a medula é a parte central do fio. Não há informações sobre as suas funções, e a sua presença no cabelo é, muitas vezes, ausente ou até mesmo descontínua.

Muitos especialistas acreditam que a medula surge apenas em cabelos brancos. Há estudos que indicam que uma possível função da medula esteja ligada ao primeiro momento da fase de germinação do fio, onde a camada interna central serve apenas como direcionadora do novo fio, mas, nada conclusivo.

Os fios capilares ficam fragilizados com agressões como produtos químicos, babyliss, chapinha, secador, poluição, vento, calor, sol, umidade, chuva, água do mar, entre outros. Quando em excesso, estes agressores podem retirar a camada protetora de gordura da cutícula e penetrar nas camadas internas dos fios capilares e com isso, deixando os nossos cabelos sem vida e poroso. Por isso, é muito importante cuidar dos cabelos.

O que é eflúvio anágeno?

O eflúvio ou deflúvio é um termo dermatológico para caracterizar a queda dos fios capilares derivado de um distúrbio no ciclo de vida dos cabelos. Existem duas formas de eflúvio, e elas são conhecidas como anágeno e telógeno, dependendo de que forma o ciclo capilar foi afetado.

A fase anágena do ciclo de crescimento dos fios capilares é quando acontece o crescimento do folículo capilar durante o tempo que os queratinócitos da matriz do fio são sujeitos a uma alta atividade metabólica. Medicamentos quimioterápicos que afeta a rotatividade das células cancerígenas podem ter efeitos tóxicos diretamente no crescimento dos cabelos em fase anágena, resultando no enfraquecimento dos cabelos com a interrupção inesperada do crescimento e decorrentes rupturas anormais.

90% dos nossos cabelos está em fase anágena. Dessa forma, pode ter uma perda considerável dos fios capilares durante o eflúvio anágeno. Os cílios e as sobrancelhas são os menos atingidos, visto que eles possuem uma porcentagem menor na fase anágena. Como a queda capilar não depende do ciclo anágeno para telógeno, os efeitos de eflúvio anágeno são rápidos havendo a ruptura dentro de dias ou até mesmo semanas depois de ingerir uma toxina.

Dentro do questionamento de o que é eflúvio anágeno, temos a doença hereditária conhecida como síndrome do anágeno solto. Que faz acontecer a liberação prematura do anágeno. O defeito estrutural reside na má ligação da cutícula capilar com a parte interna da raiz. Até o ponto de cair facilmente durante o teste de tração.

Lembrando que com o teste de tração, somente os cabelos telógenos são removidos. Pode-se ver que os cabelos anágenos estão firmes, a menos que sejam arrancados à força. A síndrome do anágeno solto acontece predominantemente na infância. E pode ser identificado somente em episódios frequentes de queda de cabelo.

O que é eflúvio anágeno: Causas, sintomas e como tratar

O sintoma mais comum do eflúvio anágeno é a perda de cabelo e geralmente é diagnosticável pelo próprio individuo. O ideal é consultar um profissional (dermatologista, oncologista, radioterapeuta ou hematologista) para orientar qual procedimento deve ser feito. Quando pensamos em o que é eflúvio anágeno, temos que pensar no tratamento, que consiste na utilização de vasodilatadores. O crescimento costuma ocorrer rapidamente após se eliminar a exposição à causa. No entanto, alterações na textura e na cor podem ocorrer no novo cabelo.

Além da causa mais comum (tratamento de câncer), existem outras causas do eflúvio anágeno. São são: febre, infecção, cirurgias prolongadas e radioterapia. O cabelo volta a crescer meses após o término da quimioterapia.

Gostou do artigo sobre o que é eflúvio anágeno? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close