Estresse e calvície: existe uma relação?

Será que estresse pode ser uma das causas da calvície? O que é estresse? Quais são os tipos de estresse? E o que é calvície? Nesse artigo falaremos tudo sobre o estresse, a calvície e se há uma relação entre o estresse e calvície.

Estresse e calvície: existe uma relação?

O estresse

O estresse é um sintoma que é capaz de mudar o nosso estado de forma indescritível e que pode ser caracterizado por sensações de desconforto, irritação, medo, frustração, preocupação, nervoso, indignação e pode ser motivado por diversas razões diferentes. Além disso, a causa para o estresse muitas vezes é desconhecida.

Há três tipos de estresse:

  • Agudo: reação do corpo a um momento ou fato estressante que causa insegurança, instabilidade de humor, ativação psíquica e apreensão. Os sintomas físicos são: dores nas costas, dor de cabeça tensional, azia, dor na mandíbula, flatulência, mãos suando, diarreia, dores musculares, em geral, palpitações e aumento de pressão;
  • Agudo episódico: ocorre quando esses estímulos que causam reações agudas ao estresse que frequentemente se repetem. Os sintomas são: enxaquecas, dor no peito, hipertensão, doenças cardíacas, dores de cabeça tensionais persistentes;
  • Crônico: quando uma pessoa está constantemente estressada, ele se torna crônico. Nesse caso, as reações do corpo ao estresse não vão embora e afeta várias áreas da vida. O estresse crônico é um fator de risco para a depressão e ansiedade. Os sintomas físicos e emocionais são: desânimo, cansaço, mal estar, fadiga, desgaste, aumento da vigilância, tristeza, alteração do sono, sensação de fracasso, dificuldades de sentir prazer, dificuldade em descansar e relaxar e esgotamento.

Quando um episódio que provocou o estresse agudo representou ameaça à sua vida ou a de terceiros, é possível que a pessoa acabe desenvolvendo o Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT). Pode ser definido como um distúrbio da ansiedade definido por um conjunto de sintomas físicos, emocionais e psíquicos.

Esse quadro ocorre em consequência de a pessoa ter sido vítima, ou testemunha, de atos violentos ou situações traumáticas. Quando o individuo recorda sobre o fato, revive o episódio como se estivesse ocorrendo no exato momento, como se fosse a primeira vez.

A calvície

A calvície é uma condição que provoca a perda parcial ou total dos fios capilares e suas causas são diversas. Normalmente perdemos por dia cerca de 100 a 120 fios, mas quando ocorre à queda em excesso é muito importante buscar ajuda médica para o mesmo realizar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

A alopecia areata é uma das que podemos relacionar o estresse e calvície, ela é uma condição que é caracterizada pela perda de cabelos ou pelos em áreas ovais ou arredondadas no couro cabeludo ou em outras áreas do corpo. Em alguns casos, ocorre a perda total de todos os pelos do corpo, principalmente dos cílios.

Essa condição que relaciona o estresse e calvície é comum em cerca de 1 a 2% da população. Algumas pessoas sentem uma sensação de coceira ou queimação na área em que não houve a queda. Os pontos onde ocorreu a queda capilar são lisos e arredondados, podendo haver uma coloração rósea na região. Até mesmo as unhas são afetadas, ocorrem alterações no relevo da superfície da unha com aspecto de pequenos furos chamados de depitting.

Há relação entre o estresse e calvície?

Sim, existe uma relação entre estresse e calvície. O estresse libera um hormônio chamado cortisol em nossa corrente sanguínea que faz com que a fixação dos fios capilares fique danificada, desregulando o funcionamento do organismo e aumentando os batimentos cardíacos.

Na questão entre a relação entre estresse e calvície, é preciso tomar muito cuidado para verificar se os fios que caíram estão nascendo e crescendo normalmente ou se é caso de pré-calvície. Sendo assim, é preciso verificar constantemente a área que está com os fios frágeis. O principal fator que o estresse desencadeia na perda dos fios capilares é a falta de circulação no couro cabeludo, permitindo que os fios não se desenvolvam de forma correta por causa do mau funcionamento da corrente sanguínea.

Algo que está relacionado entre o estresse e calvície é a alopecia areata. Essa doença está ligada com a queda capilar. Caso você tenha passado por um período estressante e difícil, pode ser que apenas em três meses você sinta os efeitos no organismo, nesse caso, no couro cabeludo. O diagnóstico para saber se há relação entre o estresse e calvície deve ser realizado o quanto antes para evitar que a queda capilar seja permanente.

Dependendo do caso pode ser apenas uma fase, como se a queda capilar fosse uma consequência. Nesse caso, é indicado utilizar produtos específicos para fortalecer o couro cabeludo para assim evitar a calvície.

Gostou do artigo sobre se há alguma relação entre a calvície e o estresse? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close