Alopecia senescente: o que é e como lidar?

Sabemos que a queda de cabelos em idosos é um problema considerado corriqueiro, ainda mais quando se trata de pessoas com uma idade muito avançada. Mas, quais seriam as causas dessa queda de cabelo? É o que vamos descobrir no texto de hoje que fala sobre a alopecia senescente. Acompanhe.Alopecia senescente: o que é e como lidar?

Alopecia senescente ou alopecia senil

Alopecia senescente, senil ou alopecia involutiva, são os nomes dados para a queda de cabelo causada pela idade.

Sabemos que são vários os fatores que podem levar a queda de cabelo em idosos, sejam homens ou mulheres. E uma dessas possíveis possibilidades é a alopecia senescente, onde na maioria dos casos, a perda dos fios começa a partir dos 50 anos de idade.

No geral, esse tipo de alopecia tem por sua característica o afinamento progressivo dos fios causando ou não a queda de cabelos.

Os fios de cabelos em idosos, através da alopecia senescente, tornam-se finos e esparsos, tendo como característica cabelos ressecados, bem diferentes de como costumavam ser.

Alopecia senescente acontece mesmo em idosos que não têm predestinação em serem calvos ou que tenham histórico de calvície na família.

Alopecia senescente x alopecia androgenética

Alguns pontos devem ser observados no que se diz respeito à alopecia senescente e à alopecia androgenética, ou calvície genética.

Um desses aspectos é o padrão de rarefação dos cabelos. Apesar de ocorrer o afinamento dos fios em ambos os casos, não há miniaturização dos fios de cabelo no caso da alopecia senescente.

A miniaturização dos fios na alopecia androgenética, tem como característica o afinamento progressivo dos fios. Apresentando como participação o hormônio masculino.

A alopecia androgenética possui patrões diferenciados quando se trata de afinamento dos fios, tanto em homens quanto em mulheres. Já na senescente, o padrão é semelhante, também em ambos os sexos.

Assim, ao contrário da calvície herdada através da genética, qualquer idoso estaria sujeito a desenvolver a alopecia senescente, mesmo sem histórico de calvície na família.

Estudos sobre queda de cabelos em idosos: alopecia senescente

A alopecia senescente não é um diagnóstico consensual. Parte dos estudos voltados para a medicina aponta dificuldades em reconhecer essa condição como uma entidade separada.

Estudos de 2011 apontaram que idosos com perda de cabelo têm um componente androgenético.

A conclusão desse estudo foi possível através de 2.149 biópsias em homens e mulheres, com idades entre 20 a 99 anos de idade.

Importância do colágeno 17A1

Em contrapartida, a hipótese da perda dos cabelos ligada à idade avançada ganhou força com um artigo publicado na revista Science.

No estudo publicado em 2016, pesquisadores japoneses descobriram que os fios de cabelos em pessoas idosas se transformavam em células da pele, perdendo, dessa forma, a capacidade de produzir novos fios.

Em teste realizados em ratos de laboratórios foi possível observar que o envelhecimento pode levar a perda de uma proteína do folículo piloso chamado colágeno 17A1. A perda desse colágeno provoca a transformação das células-tronco do fio em células de pele. Levando os cabelos a queda.

Causa de rugas e queda de cabelo em idosos

Estudos em ratos realizados no ano de 2018 também trouxeram mais informações sobre a queda de cabelos em idosos.

Através de um experimento genético, com depleção do DNA mitocondrial (DNAmt), os ratos foram induzidos ao envelhecimento precoce. O DNAmt é o material genético presente na mitocôndria, que através da organela proporciona a respiração celular.

Os ratos ao terem seus DNAmts alterados começaram a apresentar rugas e perda de seus pelos. Também foi observado o aumento de inflamações cutâneas.

A queda de pelos e o surgimento de rugas foi mais intenso nas fêmeas, sendo que nelas a queda dos pelos ocorreu através do envelhecimento induzido.

Então, é exatamente isso que ocorre no caso da alopecia senescente, a perda dos fios com o avançar da idade.

Para finalizar as observações nos ratos, o DNAmt passou por um processo de restauração revertendo, assim, os sintomas que o envelhecimento trazia para eles.

Esse experimento em ratos levantou um questionamento: seria esse processo de reversão a cura para a queda de cabelo em idosos?

Testes em animais ainda estão sendo feitos para ter certeza absoluta dessas descobertas científicas. Porém, ainda há um longo caminho a ser percorrido até chegar a uma conclusão de que já podemos usar estes estudos para reverter os casos de queda de cabelos em idosos.

Alopecia senescente: como lidar?

Como foi dito, todo o conhecimento sobre queda de cabelo em idosos é importante. Porém, ainda há muito que se descobrir.

Sabe-se que existem várias causas que podem contribuir com a queda de cabelo em idosos, mas não se deve esperar muito tempo para começar o tratamento. Sendo assim, enquanto não se chega a uma solução palpável contra a queda de cabelos em idosos, não se deve perder tempo.

Até porque se tratando de queda de cabelo e alopecia, o tempo é fundamental e deve ser levado em conta. Quanto antes os tratamentos começarem e serem feitos, mais altas serão as chances da reversão do problema.

Então, para não existir erro nos diagnósticos, deve-se procurar por um médico especialista em queda de cabelos o quanto antes.

Obrigado por ler este texto sobre alopecia senescente: o que é e como lidar? Deixe sua dúvida ou comentários para nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close