Esteroides provocam calvície?

A calvície pode ser considerada um dos maiores incômodos existentes no mundo masculino. Muitos sentem vergonha e tomam medidas, das mais mirabolantes, para estimular o crescimento de cabelo; outros já aceitam e acabam ou convivendo com as “entradas” ou raspando o cabelo que restou.

Existem diversas razões para o surgimento da calvície. O grande motivo pode ser considerado genético: a calvície – ou alopecia, no nome científico – é geneticamente passada de pai para filho. Então, se seu pai ou avô sofria de queda de cabelo, a possibilidade de que isso aconteça com você é 2,5 vezes maior do que a média normal masculina.

Ainda assim, existem outras razões que podem ser o pivô da queda capilar:

  • Má alimentação;
  • Estresse;
  • Falta das vitaminas do complexo B, D, zinco e selênio;
  • Falta de proteínas;
  • Consumo de esteroides.

Abaixo, trataremos, mais especificamente, da relação entre os esteroides e a queda de cabelo, que está sempre presente quando falamos em utilização destas substâncias.

Os anabolizantes

Anabolizantes são substâncias compostas de hormônios esteroides que promovem o crescimento dos tecidos – especialmente músculos e ossos – e estão intimamente associados a ganho de massa muscular nas academias por ambos os sexos, ainda que estejam mais presentes na rotina masculina de treinos.

Apesar de otimizarem os treinos, gerando uma hipertrofia mais rápida, com resultados visíveis, os anabolizantes (ou esteroides) tem muitos contras que devem ser pesados, antes de se optar por seu consumo. Dos mais comuns destes contras encontra-se a calvície, que ainda é uma patologia sem solução definitiva.

Função dos esteroides + prós e contras do uso

Os esteroides são muito usados, como já foi dito, para aumentar o ganho de massa muscular. Mas, além disso, possui outras características que são “importantes” para quem treina, faz academia ou qualquer outro esporte. Estas são:

  • Aumentar a capacidade do corpo de utilizar proteínas, o que permite um treino mais intenso, sem a perda de massa muscular;
  • Aumentar a capacidade do desenvolvimento desta massa muscular;
  • Aumentar a capacidade do organismo em ganhar força;
  • Aumentar o nível de resistência corporal;
  • Atuar como anti-inflamatórios, ajudando tanto a prevenir como a curar machucados.

Esteroides provocam calvície

Apesar de estas consequências parecerem muito atrativas aos olhos de quem pratica exercícios físicos, o uso dos anabolizantes possui muito mais contras do que prós. Os esteroides, além da calvície, podem causar:

  • Hipertrofia da próstata;
  • Acne;
  • Agressividade;
  • Hipertensão;
  • Limitação do crescimento ;
  • Aumento do colesterol;
  • “Virilização” em mulheres (crescimento de pelos na face, engrossamento da voz, hipertrofia do clitóris e amenorreia);
  • Ginecomastia, que é o excessivo desenvolvimento das mamas em indivíduos do sexo masculino;
  • Dores de cabeça;
  • Impotência e esterilidade;
  • Insônia;
  • Hepatotoxidade (quase todos os esteroides causam lesão no fígado);
  • Problemas de tendões e ligamentos (muitas vezes o aumento da força é desproporcional à capacidade de adaptação dos tendões e ligamentos).

Apesar de o grau destas consequências ruins depender do modo como os esteroides são utilizados, a quantidade deles e a frequência de uso são quase sempre inevitáveis.

Os contras são desproporcionais aos prós, no que se refere ao consumo desse tipo de substância, então pesar muito bem se vale ou não a pena consumir esteroides é muito importante.

Esteroides e a calvície

A calvície é causada pelo excesso do hormônio di-hidrotestosterona (ou DHT), um derivado da testosterona que, quando presente descontroladamente no organismo, provoca o afinamento dos fios capilares em determinadas regiões do couro cabeludo (as famosas “entradas”). Os anabolizantes, por ser derivados do hormônio testosterona, acabam, quase sempre, provocando esse descontrole – por aumentarem os níveis do hormônio no organismo.

Assim, obviamente, a calvície acaba acontecendo com a maioria dos usuários dos esteroides.

Possíveis tratamentos

Se você optou pelos esteroides como uma “mãozinha” no seu treino e começou a perceber uma queda razoável de cabelo, a primeira coisa a fazer é procurar um médico especialista no assunto – no caso, um dermatologista que seja, de preferência, especializado em tricologia – ou o estudo dos cabelos.

Ele é o mais indicado a poder dizer se a sua queda de cabelos realmente está relacionada ao uso dos anabolizantes e se é só isso mesmo – se não há questões genéticas e de alimentação envolvidas, por exemplo.

É importante ressaltar a importância de não se automedicar, ainda mais neste caso, onde sempre acontece de haver remédios “milagrosos” – e geralmente clandestinos – envolvidos. Uma automedicação deste tipo pode piorar o problema e ainda causar outros ainda mais graves.

Se os anabolizantes forem a causa, você parar de tomá-los e ainda assim não conseguir recuperar os fios perdidos, existem hoje tratamentos de reconstrução do couro cabeludo que podem resolver o problema. Não são os mais financeiramente acessíveis, mas podem ser uma opção se o seu problema com queda de cabelo for muito grave.
Também existem sistemas e tratamentos de prevenção que você pode fazer, caso você saiba da incidência de calvície na sua família ou vem reparando pequenas quedas nos seus cabelos.

Exatamente pelos riscos à saúde é que você deve buscar produtos de qualidade para tratar a calvície. Alguns deles você encontra aqui. Cuide-se sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close