Drogas e calvície: existe relação?

Como já é sabido, existem várias causas que levam à calvície, seja por questões genéticas, carências de nutrientes e até mesmo doenças graves. Mas ainda há muito a se descobrir sobre as diferentes causas da queda de cabelo, e é sobre uma delas que veremos hoje. Então, o que drogas e calvície teriam a ver com a queda de cabelo? Não deixe de acompanhar.

Drogas e calvície: existe relação?

Há relação entre drogas e calvície?

Sabe-se que qualquer substância que não seja necessária ao organismo ou qualquer coisa ingerida em maior quantidade fará mal. O que podemos imaginar fazendo esse raciocínio é que há uma estreita relação entre drogas e calvície, mas como não podemos basear nossas opiniões em nada comprovado, vamos observar o que dizem estudos sobre o assunto.

O que pode ser considerado como drogas?

Do ponto de vista farmacológico, pode ser considerado como drogas quaisquer substâncias químicas que causam reações ao organismo. De acordo com esse conceito, medicamentos podem ser considerados como drogas.

Porém, no nosso país, droga é um nome no qual representa apenas as substâncias ilícitas. Assim, drogas seriam substâncias psicoativas ilegais usadas para fins não médicos, muitas vezes com potencial de provocar vício. São compostos químicos capazes de alterar os sentidos de alguém, assim também como alterar o humor, entre outros aspectos.

As drogas podem causar três tipos de efeito no organismo. Vejam quais são:

  • Depressoras: quando acalmam ou relaxam;
  • Estimulantes: geram energia e deixam a pessoa em estado de atenção mais aguçada;
  • Alucinógenas: podem causar visões distorcidas da realidade.

As drogas ilícitas mais conhecidas são: maconha, cocaína, crack, heroína, LSD, ecstasy, ketamina, GHB, clorofórmio, entre outras.

Exame toxicológico no cabelo

Para detectar vestígios de drogas no organismo, são realizados exames de urina, saliva e até mesmo nos fios de cabelo. Segundo um estudo publicado em 2017, no Journal of Analytical Toxicology, da Universidade de Oxford,  trata-se de um método valioso para a detecção de diversas drogas conhecidas e outras emergentes.

Esse exame é muito útil; porém, não se trata de um método infalível, como mostrou um segundo estudo, disponível na PubMed Central. Neste, é afirmado que pelo simples fato de alguém estar em meio a usuários de droga, o exame pode dar positivo.

Estudos sobre a relação entre drogas e calvície

Não há dados suficientes na biblioteca médica para provar se drogas e calvície têm relação. O que se sabe é que, segundo estudos, mesmo sem dados conclusivos a respeito, algumas situações criadas pelo uso dessas substâncias poderiam agravar quadros associados à queda capilar.

Como exemplo, algumas drogas contêm estimuladores de adrenalina, e esta substância altera os hormônios, causando estresse no organismo, assim pode agravar ou provocar a queda de cabelo de maneira mais acentuada.

Além disso, a queda de cabelos também pode ser secundária a deficiências nutricionais provocadas pela má-alimentação, situação comum entre usuários de drogas.

Outro fator importante a ser ressaltado é o fato de que o usuário pode desenvolver consequências decorrentes da falta de nutrientes, já que algumas drogas inibem a fome, e com a escassez de nutrientes, a queda de cabelo pode se intensificar.

Como as drogas podem causar queda de cabelo?

Para fazer uma análise geral em relação a drogas e calvície, temos que observar que a forma de queda de cabelo mais associada ao uso de drogas é o eflúvio telógeno.

O eflúvio telógeno é uma condição capilar no qual acontece a passagem precoce de uma maior quantidade de fios para a fase de queda, chamada de fase telógena.

O eflúvio acontece quando o organismo passa por um processo de alteração causado por algum motivo não natural. Com esse impacto, associado a possíveis deficiências nutricionais e queda da imunidade, a queda se potencializaria.  

Queda de cabelo causada por drogas é permanente ou passageira?

Para que a relação entre drogas e calvície se interrompa, é necessário que o usuário pare de usá-las. Assim, nesse período, o corpo voltará a um certo equilíbrio e a queda de fios ficará minimizada, embora possa ser afetada de forma permanente. Isso pode levar até um semestre para começar a voltar à normalidade.

Entretanto, caso existam outras condições associadas como, por exemplo, deficiência nutricional ou doenças sistêmicas, a queda pode se arrastar por períodos mais prolongados.

Drogas podem causar queda de cabelo?

A palavra droga não é usada para definir situações ruins ou coisas que dão errado à toa. Elas foram feitas, no caso das medicinais, para curar ou controlar certas doenças, já as ilícitas têm outro papel muito mais devastador ao organismo.

Mesmo que não haja uma relação direta entre drogas e calvície, o aumento da queda capilar pode ser um indicativo do uso dessas substâncias, pois cada organismo responde de forma diferente uns dos outros.

Conte para nós nos comentários se gostou de nosso tema de hoje, no qual falamos sobre drogas e calvície. Caso queira fazer alguma pergunta, fique à vontade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close