Estresse e calvície: qual a relação

Sabe-se que a calvície tem diferentes causas e há muitos tipos da doença, com tratamentos diferenciados. Nesse artigo, falaremos sobre a calvície resultante do estresse e da alopecia areata dois assuntos a serem explorados.

O que é alopecia areata?

A calvície areata é um dos tipos mais difíceis de  lidar, uma vez que não se sabe muito bem como funciona. As causas são muitas e os tratamentos hoje em dia já evoluíram bastante, mas cada caso precisa de uma atenção especial.

Normalmente, esse tipo de calvície costuma aparecer entre o final da infância e início da fase adulta, podendo atingir tanto homens quanto mulheres, em qualquer faixa etária, por isso, é importante ficar atento a queda de cabelo.

O tipo de queda de cabelo que determina a alopecia areata surge de forma repentina, avançando com muita rapidez. Além disso, a sua evolução ocorre de forma imprevisível, gerando uma carga emocional muito grande para quem tem esse tipo de problema.

Estresse e calvície: qual a relação

Causas

Uma das principais causas da alopecia areata é o estresse, sendo em síntese uma reação que pode ser física ou mental do organismo, devido um esforço extremo ou algum acontecimento de grande importância que a pessoa teve em sua vida.

A causa mais comum nesse caso está na elevação da tensão emocional,  em decorrência de expressivos desafios, seja no trabalho, por dificuldades financeiras, desentendimentos dentro da família, falecimento de pessoa próxima etc.

É fato que o nosso corpo tem uma grande capacidade de se adaptar ao estresse. Porém, quando ele atinge seu limite, a saúde sofre suas consequências.

Quando o corpo chega no limite do estresse, é preciso agir para não desencadear problemas físicos e distúrbios psíquicos, criados pelos agentes estressores ao longo da vida.

Como em outras doenças do couro cabeludo e da pele, a grande quantidade de perda de cabelo pode servir como indicador de que o estresse está acima do controlado. Em momentos de alto estresse, são liberados o hormônio cortisol no organismo, que acaba reforçando a queda.

Mediadores da ação do estresse

Situações de traumas e estresse, como já foi dito, fazem com que ocorra queda de cabelo, resultando em calvície. Para entendermos melhor como funcionam essas situações de estresse no nosso organismo, temos que perceber que os diferentes estados psicológicos são mediados por substâncias químicas, liberadas pelas terminações nervosas ou transportadas pelos vasos sanguíneos.

São essas substâncias que fazem a ligação entre o sistema nervoso central e a pele. Sabe-se também que há variações dessas substâncias no nosso corpo, normalmente na pele, toda vez que ocorre uma mudança no estado mental. Isso  pode ocasionar imunossupressão e reações imunitárias na pele.

Essas alterações das relações entre os mediadores químicos e as células cutâneas, acabam modificando o equilíbrio da pele, dando origem à inflamação e dermatoses.

Formas de amenizar o estresse

O estresse é um problema que interfere na vida de milhares de brasileiros. Com a correria do dia a dia, muitos afazeres e poucas horas de sono, é difícil encontrar alguém que não tenha algum problema de estresse ou que já tenha vivido essa situação.

Mas há como reverter o quadro. Fazer atividades físicas e separar um tempo para você mesmo (apenas alguns minutinhos no dia) pode fazer toda a diferença.

1.      Atividade física

A atividade física ajuda a liberar a endorfina, um hormônio também conhecido como sendo do prazer. Quando a endorfina é liberada no corpo a sensação de bem-estar é muito grande. Além disso, a atividade física ajuda a manter o corpo em forma, ficando muito mais resistente, aumentando também a sua imunidade. Ou seja, as chances de ficar doente são muito menores.

2.      Relaxamento

Separar um tempo para fazer as coisas que você gosta, nem que seja relaxar assistindo a um filme, indo ao cinema, ou apenas dormindo, também ajuda a amenizar as consequências do estresse.

3.      Horas de sono

Dormir faz bem para saúde e para a mente, quem sofre com estresse contínuo, normalmente, tem problemas sérios para conseguir dormir bem. Ter boas horas de sono é essencial, pois diminui o estresse. O ideal é que a pessoa tenha, pelo menos, 7 horas de sono, mas sabemos que nem sempre é o que acontece.

Por isso, determine um horário para ir para cama e poder relaxar a mente e o corpo. Com o tempo, vai adquirir esse costume.

Portanto, o estresse e a calvície têm uma relação muito profunda, uma vez que ele pode causar queda de cabelo, devido às substâncias químicas liberadas no nosso corpo, até originar a calvície.

É importante salientar que a prevenção é sempre a melhor maneira de combater a calvície, independente de que tipo for. É importante ressaltar que as consultas médicas devem ser feitas, antes de iniciar o tratamento.

Continue conosco em nosso blog e deixe seu comentário logo abaixo, é muito importante Até a próxima!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close