Tipos de calvície feminina

A alopecia androgenética feminina tem as mesmas causas da alopecia androgenética masculina. Os cabelos vão ficando mais fracos ao longo dos anos, mas isso só se torna visível quando certas áreas do couro cabeludo expõem cabelos mais finos e se notam áreas danificadas, ou seja, vazias. O estresse e o desequilíbrio hormonal são fatores que influenciam fortemente esta condição.

Alguns cortes de cabelo, tratamentos como escovas permanentes, descoloração, coloração e uso inapropriado de cosméticos capilares podem influenciar na alopecia feminina. Pentear excessivamente o cabelo também pode influenciar na quebra e tornar o cabelo mais frágil e fino. Neste caso, se o cabelo for tratado corretamente pode voltar a crescer. Mas se esses sintomas permanecerem, a queda pode se tornar permanente.

Quais são as causas da calvície feminina?

Apesar de a calvície feminina acontecer bem menos que a masculina, pode causar graves problemas sociais e psicológicos na mulher. No público masculino, a maioria das causas está relacionada à origem genética, mas nas mulheres os casos são mais complexos. Um fator determinante na alopecia feminina são as alterações hormonais. A gravidez, a menopausa e o uso de anticoncepcionais podem desencadear alterações hormonais que levam à doença.  O estresse, a deficiência nutricional, seborreia, entre outras coisas também podem levar a mulher a ter calvície.

Os padrões da calvície feminina

Raramente a mulher fica totalmente careca com a alopecia feminina. O padrão mais comum é a rarefação dos cabelos no centro da cabeça, os quais ficam mais finos, de tamanho menor, causando um vazio no couro cabeludo. Mesmo não eliminando boa parte dos fios, como nos homens, o resultado é lamentável. Algumas mulheres chegam a ficar com depressão e a imensa maioria, com baixa autoestima.

Entendendo mais a fundo

Muita gente pensa que a queda capilar é um problema exclusivo de homens. Mas isso não procede. Só nos EUA, cerca de 20 milhões de mulheres sofrem com os efeitos da alopecia androgenética feminina. Como já citamos, os sintomas resumem-se no crescimento cada vez mais frágil dos cabelos. A alopecia nas mulheres começa geralmente por volta dos 30 anos, mas nota‐se mais por volta dos 40 anos. Depois da menopausa a queda se acelera. Assim como nos homens, nas mulheres a queda é causada por uma combinação de fatores como alimentação, fatores genéticos e hormonais e estresse psicológico.

Veja uma lista de causas da alopecia androgenética feminina:

  • Má alimentação e nutrição;
  • Dietas mal feitas que causam perda de peso excessivas;
  • Graves doenças ou severas operações;
  • Estresse emocional ;
  • Anemia ;
  • Problemas de tiroide;
  • Uso de anfetaminas e outras drogas.

Desequilíbrio hormonal

As alterações hormonais depois do parto e o desuso de anticoncepcionais também podem causar queda de cabelo, mas quase sempre é por tempo determinado. O cabelo se recupera novamente, voltando a ter força e brilho juntamente com o equilíbrio dos hormônios.  A tireoide, como citamos acima, também pode causar o desequilíbrio hormonal.

Dietas, má alimentação e vegetarianismo

A alopecia feminina está muitas vezes ligada as famosas dietas da moda, que tendem a desenvolver deficiências nutritivas no organismo. Portanto, ter uma dieta desequilibrada causa insuficiências de vitamina C, vitamina E, entre outros antioxidantes, causando a temida perda de cabelo. Os suplementos vitamínicos não podem ser descartados nas dietas.

Alopecia Androgenética Feminina

Por isso recomenda-se uma consulta ao nutricionista antes de começar a privar-se de certos alimentos. A calvície também é comum nas mulheres vegetarianas, devido à falta de ingestão de proteína, contida na carne, e que são muito úteis no corpo. Neste caso, a solução é aumentar a ingestão de proteína não-animal, como a soja, por exemplo. Assim o cabelo volta a crescer normalmente.

Os males da modernidade

Nos últimos 50 anos, o número de mulheres com queda capilar aumentou muito. E isso está inteiramente ligado ao estilo de vida estressante do mundo moderno. Manter uma vida saudável, com a prática de exercícios, uma noite de sono de, em média, 8 horas por dia, ter uma alimentação equilibrada são as melhores formas de manter a saúde do cabelo, e, claro, do resto do corpo.

Tratamento para calvície feminina

A finasterida é indicada para os homens, mas não para as mulheres como alguns pensam. Já o minoxidil é indicado para o público feminino. Ele estimula o crescimento dos cabelos até que a causa da calvície seja identificada e combatida. O microtransplante folicular é outra opção, mas o sucesso desse tratamento depende da densidade dos cabelos nas regiões posteriores da cabeça. O ideal mesmo é se prevenir, conhecendo as principais causas e os fatores que mais influenciam para o surgimento da alopecia androgenética feminina.

Enfim, este foi nosso artigo, querido leitor(a)! Esperamos ter lhe ajudado a conhecer melhor as causas da calvície feminina. Lembre-se que a prevenção é a melhor solução. E se perceber os sintomas vá imediatamente a um dermatologista. Evite alimentos muitos gordurosos e tenha cuidado com as químicas aplicadas em seu cabelo. Use os melhores produtos em seu tratamento e fique livre desse mal. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close