Ruxolitinib: uma solução para a calvície?

Aqueles que sofrem com a calvície têm uma nova esperança de tratamento com uma droga nova.

Alopecia é um tipo de condição autoimune em que as próprias células imunológicas do corpo começam a atacar os folículos pilosos por uma razão desconhecida, o que leva à perda de cabelo.

Essa nova pesquisa, na verdade, envolveu duas fases, uma envolvendo ratos e seres

Os investigadores identificaram o tipo específico de célula imune (células CD8 + NKG2D +T) que está envolvido neste processo autoimune, e identificadas as vias de sinalização que estimulam a atividade destas células.

Os investigadores demonstraram que, em seguida, usando tratamentos moleculares para bloquear estas vias de sinalização foi eficaz em prevenir e reverter o processo da doença em ratinhos geneticamente modificados para desenvolver alopecia.

Esses achados em camundongos foram seguidos por excelentes resultados em três pessoas com alopecia moderada a grave. Essas pessoas foram tratadas com Ruxolitinib, que atualmente está licenciado no Reino Unido para tratar certas doenças da medula óssea. Todos os três pacientes demonstraram “o crescimento do cabelo quase completo” depois de três a cinco meses de tratamento.

Esta pesquisa é promissora, mas está em fase muito precoce. Ruxolitinib foi testado em apenas três pessoas com alopecia, que é um número muito pequeno para tirar conclusões sólidas sobre a eficácia ou a segurança do tratamento em pessoas com alopecia.

A segurança e eficácia precisaria ser testada em muitos estudos envolvendo um número maior de pessoas, e isso também precisa ser testado contra outros tratamentos atualmente utilizados para alopecia, como esteroides.

Onde é que o Ruxolitinib entra na história?

O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Columbia, em Nova York. O estudo recebeu várias fontes de apoio financeiro, incluindo dos Institutos Nacionais de Saúde, o Centro de Pesquisa de Doenças da Pele da Universidade de Columbia, a Fundação Amor e da Iniciativa alopecia areata.

O estudo foi publicado na revista científica Nature Medicine.

As referências a “pílula calvície” são potencialmente enganosas, pois pode levar as pessoas a pensar que este tratamento, ou similar, seria eficaz contra o tipo mais comum de calvície, calvície de padrão masculino.

Que tipo de pesquisa o Ruxolitinib foi usado?

Ruxolitinib uma solução para a calvície

Este foi um estudo de laboratório e do rato que teve como objetivo analisar os processos celulares que causam alopecia e tentar investigar um tratamento para reverter o processo.

A Alopecia

Alopecia é uma condição em que os pelos do corpo caem, variando apenas de um pedaço de cabelo na cabeça a todo o cabelo do corpo. Entende-se como um tipo de condição autoimune onde próprias células do sistema imunológico do corpo começam a atacar os folículos de cabelo.

As causas não são completamente compreendidas, com as associações com estresse e genética especulado. Infelizmente, apesar de vários tratamentos poderem ser tentados (mais comumente corticosteroides) não há atualmente nenhuma cura para a calvície.

Os investigadores tinham previamente identificado um subconjunto particular de células T (células T CD8 + NKG2D + T) que rodeiam os folículos de cabelo na alopecia, bem como para identificar certas moléculas de sinalização que parecem estimular a eles. Neste estudo, os investigadores procuram ainda mais o papel destas células T específicas usando um grupo de ratos geneticamente modificados para desenvolver espontaneamente a alopecia, e também amostras de pele humana.

O que a pesquisa envolve?

Os pesquisadores então examinaram a atividade genética em amostras de pele dos ratos geneticamente modificados, e dos seres humanos com alopecia.

Eles identificaram vários genes que foram sobre-expressos em torno das áreas de alopecia, bem como várias moléculas de sinalização que são condutoras dessa atividade anormal de células T, incluindo as interleucinas 2 e 15, e interferon gama.

Os pesquisadores, portanto, em seguida, queriam ver se o uso de tratamentos com

medicamentos que possam bloquear essas moléculas sinalizadoras impediria o

desenvolvimento da doença.

Para isso, eles enxertaram a pele de ratos que tinham desenvolvido alopecia para as costas dos ratos que ainda não desenvolveram a doença. Eles, então, testaram a eficácia de tratamentos com medicamentos que podem bloquear as moléculas de sinalização para ver se eles poderiam prevenir ou reverter a doença.

Finalmente, eles seguiram os seus resultados em camundongos com testes em três pessoas com alopecia.

Quais foram os resultados básicos?

Quando os ratos atualmente saudáveis foram enxertados com pele de ratinhos que tinham desenvolvido alopecia, 95-100% deles desenvolveram alopecia dentro de 6 a 10 semanas.

Dando anticorpos para neutralizar o interferon gama no momento do enxerto foi impedido o desenvolvimento da alopecia. Dando anticorpos para bloquear as interleucinas 2 e 15 tiveram um efeito similar.

No entanto, embora os investigadores possam prevenir o desenvolvimento se administradas ao mesmo tempo, nenhum foi capaz em reverter o processo, se administrado após a alopecia ter se desenvolvido.

Em seguida investigamos se eles poderiam bloquear outras moléculas de sinalização que são envolvidas na via a jusante a partir de interferon gama (denominadas proteínas JAK).

Ruxolitinib (atualmente licenciado no Reino Unido para tratar certas doenças da medula óssea) é uma molécula que bloqueia JAK1 / 2 proteínas. Tofacitinib é um outro tratamento molecular (não está licenciado para qualquer condição no Reino Unido) que bloqueia a outra (JAK3).

Quando estes dois tratamentos foram administrados ao mesmo tempo, as amostras de pele com alopecia foram enxertadas em ratos saudáveis e estes ratinhos não desenvolveram alopecia.

Enquanto medicamentos baseados nos objetos desses estudos ainda não são disponibilizados, que tal procurar por cosméticos de alta qualidade para minorar os efeitos da calvície? Cuide-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close