Menstruação e queda de cabelo: qual a relação?

Já parou para pensar se menstruação e queda de cabelo têm relação entre si? Muitas mudanças no corpo e no humor da mulher são associadas à famosa TPM (tensão pré-menstrual), mas por que não pensar também na influência de seu ciclo hormonal nesse período sobre os fios, não é?

Menstruação e queda de cabelo: qual a relação?

Hormônios e ciclo menstrual

Os hormônios femininos se alteram durante o ciclo menstrual, que costuma ter intervalo entre 28 e 30 dias, ocorrendo sangramento vaginal com duração de 3 a 8 dias, variando de mulher para mulher, entre mais ou menos tempo.

Por isso, ouvir uma mulher se queixar de que os cabelos estão “terríveis”, conforme chega a data de sua menstruação, é muito comum. Os hormônios estão associados a várias características do corpo, como o trabalho das glândulas sebáceas e níveis de ferro.

Conhecer um pouco mais sobre o funcionamento do organismo feminino ajuda a entender melhor o que a mulher diz sentir em seu período menstrual. As queixas não são apenas um “blá… blá… blá…” exagerado, como se costuma criticar em vários meios sociais. Se os hormônios se alteram, é de se esperar uma resposta do corpo a isso, não é mesmo?

Oleosidade, menstruação e queda de cabelo

Por meio de pesquisas, foi descoberto que as mulheres que reclamam de seus cabelos nos dias de menstruação têm razão. Devido à variação hormonal, as glândulas sebáceas trabalham mais. Assim sendo, há maior produção de sebo que, consequentemente, vai se acumulando no couro cabeludo.

Então, entre as queixas, ouvem-se relatos sobre aumento de caspa e coceira. Há quem imagine ter alergia conforme seu ciclo menstrual, mas o que ocorre, de fato, é um acúmulo de sebo, fazendo com que a coceira seja quase inevitável.

Não lavar o cabelo durante a menstruação faz bem?

Mulheres de gerações mais antigas, acreditando que menstruação e queda de cabelo têm uma forte ligação, creem que o melhor a ser feito nos dias de sangramento é não lavar os cabelos.

Entretanto, devido ao acúmulo de sebo no couro cabeludo, a respiração do sistema capilar é prejudicada, o que faz o desenvolvimento de produção de fios e manutenção da saúde capilar ser afetado negativamente.

Caso deixem de lavar seus cabelos, por pensar que assim vão protegê-los, na verdade, estão favorecendo uma possível queda por enfraquecimento dos fios. Outros tecidos também sofrem consequências como bulbo e folículo piloso, responsáveis pelo ponto de nascimento do fio e por dar força para o seu crescimento. 

Fluxo intenso

É grande o número de mulheres que frequentemente sofre por muito tempo em silêncio, devido a períodos menstruais excessivamente abundantes, também chamado de hipermenorreia.

Além do constante incômodo, às vezes acompanhado de cólicas, intensas ou não, um fluxo volumoso acaba pedindo à mulher várias idas ao banheiro durante o dia. E isso não é, muitas vezes, compreendido no ambiente de trabalho, ou mesmo em casa por seus companheiros.

Todo esse quadro gera um episódio de esgotamento físico e mental em que menstruação e queda de cabelo se ligam ao estresse. Por isso, o aumento dos fios que caem é decorrente não só da variação hormonal.

É importante lembrar que mulheres com histórico de alopecia androgenética na família devem se atentar ao volume de fios que cai, pois esse processo pode vir a se tornar início de calvície, o que requer tratamento capilar.

Mulheres com hipermenorreia perdem mais de 80 mililitros de sangue durante seus períodos menstruais. Isso não pode ser medido com antecedência e exige frequente troca de absorventes higiênicos. Em alguns casos, essa troca tem de ser feita a cada hora.

Sintomas como fadiga constante e fraqueza são comuns, dado que a perda de sangue favorece a perda de ferro. Então, o organismo reage, em muitos casos, desenvolvendo anemia.

Toda hipermenorreia deve ser avaliada por um ginecologista, que deve ser procurado para que um tratamento seja iniciado. Afinal, trata-se de sintoma que sinaliza anormalidade no útero e, em casos mais graves, essa sinalização pode ser o aviso de um tumor maligno.

Menstruação e queda de cabelo na adolescência e na menopausa

Adolescência e menopausa relacionam-se com menstruação e queda de cabelo, evidentemente, devido às variações hormonais que ocorrem no corpo. São fases em que o corpo feminino sofre grandes transformações e, como os cabelos também fazem parte do corpo, não ficam isentos de modificações.

Na primeira menstruação, também chamada menarca, a menina tem um sangramento vaginal comum do corpo feminino, periódico e terminará com a menopausa.

Já na vida adulta, alguns sintomas podem surgir, sinalizando a menopausa – como início de uma hipermenorreia. O sinal também pode se apresentar de forma contrária, como uma hipomenorreia, ou escassez de sangramento ou ciclo menstrual com intervalo de sangramento maior que um mês.

Já em adolescentes, disfunções de ciclo e volume menstrual são atrelados ao fato de o equilíbrio hormonal ainda não ter se estabilizado.

Em ambas as fases, seja adolescência ou menopausa, também há vários casos de cabelos que se enfraquecem e caem, devido à ausência de ferro no sangue cansada por sangramento em excesso.

Então, quando tufos de muitos fios de cabelo ficam no travesseiro de dormir, depois do banho no chão do banheiro, na escova de pentear, entre outras ações e lugares, convém que um exame de sangue seja feito para descartar ou tratar uma anemia.   

Concluindo, um quadro de menstruação e queda de cabelo envolve uma soma de sintomas, causas e consequências, que variam de um organismo para outro, sendo todos ligados à variação hormonal.

Aprendeu algo que ainda não sabia? Concorda com o que viu? Não deixe de dar a sua opinião sobre menstruação e queda de cabelo! Se ainda tiver dúvidas, é só perguntar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close