Depressão e calvície na adolescência: como enfrentar

A calvície na adolescência é algo que pode acontecer com qualquer jovem. Traz, como tudo, várias consequências como ocasionar – ou agravar – um quadro de depressão, pois esta é a idade das paqueras, namoros e das oscilações mais intensas sobre autoimagem e autoestima. Então, o adolescente se sente impossibilitado de ter essa vivência devido à sua aparência.

Veja, neste artigo, algumas informações sobre esse assunto; assim, saberá lidar com a situação, em casos de desenvolvimento de depressão.

Depressão e calvície na adolescência: como enfrentar

Calvície na adolescência e fase de mudanças

O cabelo muda muito na adolescência, sendo mais um entre todas as mudanças no corpo, que vêm acompanhadas pelo desenvolvimento de hormônios sexuais.

Os fios de cabelo podem ficar mais oleosos, rebeldes e, às vezes, o couro cabeludo se enche de caspa, devido às mudanças hormonais que favorecem o aumento de sebo produzido pelas glândulas sebáceas da pele.

Afetando em maior parte os rapazes, mas as meninas também estão sob esse risco, a calvície na adolescência se transforma em fator de peso grave, pois atinge diretamente a saúde emocional, causando transtornos de ansiedade que, se não tratados, transformam-se em depressão.

A mudança é evidente, porque a densidade do cabelo começa a diminuir, além disso, a quantidade de fios que caem por dia é muito grande, ultrapassando a quantidade considerada normal de 100 fios por dia.

Travesseiros onde jovens dormem ficam forrados por fios. Inclusive, o ralo do banheiro chega a entupir na hora do banho por causa dos tufos de fios que se enrolam e impedem a saída da água.

Em casos como esses, por menor que pareça ser a queda de cabelo, não deve ser desconsiderada, pois, se não tiver os devidos cuidados, aumentará com rapidez.

É preciso estar atento para que uma queda severa de fios não seja interpretada apenas como mais uma das mudanças por que o corpo passa na fase da puberdade.

Puberdade e queda de cabelo

O cabelo muda na puberdade, pois meninos e meninas entre 12 e 18 anos passam a se desenvolver sob a influência de hormônios sexuais masculinos, os andrógenos, e dos hormônios femininos, o estrogênio e a progesterona.

A instabilidade maciça desses hormônios é que acaba desenvolvendo grandes mudanças como a calvície na adolescência

Alteração capilar

Tanto para os meninos quanto para as meninas, o que causa os distúrbios capilares são os hormônios andrógenos. Mesmo para as meninas que produzem esses hormônios em uma quantidade bem menor.

Inclusive, os hormônios andrógenos são agentes causadores ​da alteração que costuma ocorrer neste período instável, modificando a queratina, logo deixando o cabelo mais encaracolado ou mais escuro.

O cabelo também passa a ficar com maior oleosidade porque as reações hormonais instáveis proporcionam um aumento de tamanho das glândulas sebáceas, produzindo mais sebo no couro cabeludo e fios de cabelo.

Calvície na adolescência e relação com depressão

A depressão é um transtorno do humor, que deriva dos pensamentos conforme as emoções vivenciadas são interpretadas pelo indivíduo de forma traumática, ou negativa.

O pensamento de um indivíduo está condicionado a tudo o que recebe como educação, instrução, assim como julgamentos sobre o “certo” e o “errado”, o “bonito” e o “feio”, entre outras dicotomias que afetam a interação desse indivíduo com o meio social.

Além disso, as funções biológicas de uma pessoa estão em trabalho simultâneo com sua maneira de recepcionar vivências cotidianas. Logo, o organismo físico humano, consequentemente, reage junto com o comportamento.

Biológico e emocional se aproximam, porque as emoções são recepcionadas pelo sistema límbico, parte do cérebro que recebe informações e sensações pelo sistema nervoso. Essa parte cerebral é responsável pela interpretação do ambiente exterior, a qual é intrínseca de indivíduo por indivíduo.

Padrão de beleza atual e depressão

Existe, no meio social, uma afirmação aceita pela grande maioria das pessoas acerca da calvície. Associa-se que a calvície é uma “coisa feia” e que acontece somente com a senilidade.

Neste cenário, existe hoje um paradigma de padrão estético, o qual estabelece o que é considerado bonito: um corpo esbelto, altura mediana e, também, cabelos sedosos e volumosos.

O adolescente que não se sente adequado devido ao fato de não ter os atributos desse padrão estético de beleza, acaba por se sentir inferiorizado, o que o leva a uma baixa autoestima.

Assim, ao se observar o desenvolvimento de uma calvície na adolescência, as chances de que um transtorno emocional seja gerado pelo indivíduo são grandes e requerem atenção, pois podem existir consequências graves.

Entretanto, há episódios de queda de cabelo em adolescentes que podem ser patológicas, ou decorrentes de um estado emocional abalado. Casos em que a depressão surgiu antes que os fios já tivessem caído.

 Desse modo, quando a causa da queda de cabelo é patológica, um dermatologista especialista em saúde capilar deve ser procurado. Isso ajudará para que um diagnóstico seja feito e, em seguida, seja iniciado um tratamento com medicamentos de uso tópico e oral que tragam resultados positivos para a calvície na adolescência.

Acompanhamento psicológico para calvície na adolescência

Sessões de psicoterapia são uma das medidas a se tomar quando se está diante de uma depressão por causa de uma calvície na adolescência.

O tratamento ajuda a manter a saúde emocional estável, evitando agravamentos psíquicos que podem perdurar na vida adulta.

Desenvolver a aceitação de si próprio é o primeiro passo para encontrar soluções que inibam o problema estética, ajudando jovens a terem um dia a dia mais tranquilo.

Maquiagem capilar e calvície na adolescência

O uso de maquiagem capilar é uma maneira de resolver o problema estético de forma imediata. A maquiagem Jet Hair é uma boa opção, pois tem resultado positivo e, por isso, é um produto que tem alta procura e grande aceitação.

Tire suas dúvidas sobre o tema de calvície na adolescência e também a respeito da maquiagem capilar Jet Hair, deixando um comentário; brevemente responderemos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close