Calvície feminina: 3 fatos sobre esse quadro

A calvície é uma condição que, apesar de afetar principalmente os homens, também pode se apresentar nos cabelos femininos.

Para um eficaz tratamento da calvície feminina, é necessário que você se atente aos seguintes fatos sobre esse quadro:

Calvície feminina: 3 fatos sobre esse quadro

1. A calvície feminina pode ser hereditária

Assim como a calvície masculina, a calvície feminina também tem como principal fator o código genético, herdado por gerações.

Nos casos de calvície hereditária, também conhecida como alopecia androgenética, ocorre uma acentuada sensibilização dos receptores hormonais no couro cabeludo, até a completa atrofia dos folículos capilares.

A partir disso, é possível perceber a rarefação dos fios, que vão se tornando gradualmente mais finos, até pararem de crescer.

É estimado que a calvície hereditária possa atingir até 5% das mulheres. Infelizmente, não existe cura para essa condição, entretanto é possível controlar e até mesmo reverter o quadro, quando percebido em seus estágios iniciais.

Um outro tipo de calvície que pode afetar as mulheres é a calvície decorrente de uma doença inflamatória, chamada de alopecia areata.

A alopecia areata é um quadro de calvície causado por uma doença autoimune, decorrente do ataque do sistema imunológico a estruturas saudáveis – os folículos pilosos. Essa inflamação atinge a raiz dos fios, promovendo a queda em regiões circulares, as chamadas “falhas”.

As causas desse quadro ainda não foram cientificamente identificadas, entretanto costuma se mostrar associado a abalos emocionais, estresse, quadros de tensão, doenças infecciosas e doenças crônicas, como psoríase, alergias e vitiligo.

2. Primeiros sinais da calvície feminina e como ela se manifesta

A calvície se manifesta diferentemente entre os homens e as mulheres.

Enquanto nos homens as primeiras falhas podem ser observadas próximo à testa e no topo do cabeça, a calvície feminina tende a resultar em fios mais finos e rarefeitos, principalmente no topo da cabeça.

Em casos mais graves, o couro cabeludo pode se verificar mais evidente nessa região.

Os primeiros sinais de calvície feminina incluem:

  • Perda de cabelos acentuada;
  • Diminuição na espessura dos fios;
  • Raleamento dos fios no topo da cabeça; e
  • Surgimento de regiões sem cabelo.

Esses sinais não necessariamente implicam o quadro de calvície feminina, sendo imprescindível a avaliação profissional para o exame das particularidades de seus fios.

3. Como tratar a calvície feminina?

Existem diversas formas de tratar a calvície feminina. Em geral, é similar ao tratamento dispensado à calvície masculina, com o uso de substâncias capazes de atuar nos folículos pilosos, pausando a queda e promovendo o nascimento de fios mais saudáveis.

O tratamento, entretanto, deve ser individualizado e levar em consideração o perfil da paciente e as particularidades de seu quadro. Recomendamos a tricoscopia como o diagnóstico dos fios e do couro cabeludo, que pode ser realizado por um médico dermatologista.

Confira, a seguir, algumas das alternativas mais populares e eficazes para o tratamento da calvície feminina:

·        Medicamentos tópicos

Alguns medicamentos são capazes de inibir a ação da enzima que ataca os hormônios sexuais masculinos presentes no couro cabeludo, responsável pela queda dos fios, e de realizar a nutrição dos folículos pilosos.

Substâncias como finasterida, minoxidil, ditranol e pomadas corticoides são popularmente utilizadas no tratamento da calvície. Entretanto, o alto risco de efeitos colaterais evidencia a necessidade de orientação e acompanhamento médico.

Além disso, o uso de determinados xampus e loções é indicado nos estágios iniciais da calvície feminina, sendo particularmente úteis para a prevenção.

·        Medicamentos orais

Alguns medicamentos orais também são utilizados no tratamento da calvície, como a espironolactona.

Além disso, o uso de vitaminas e nutrientes podem estimular o crescimento de fios mais fortes e saudáveis, como os suplementos alimentares com efeito sobre a saúde capilar.

·        Procedimentos

Diversos procedimentos garantem o tratamento da calvície feminina. O transplante capilar, por exemplo, é indicado para casos mais avançados, em que o cabelo é implantado, fio por fio, nos folículos das áreas afetadas pela calvície.

Já a mesoterapia é um tratamento que consiste em microinjeções de vitaminas e fatores de crescimento nos folículos pilosos prejudicados pela calvície.

A eletroestimulação e a aplicação do laser de baixa penetração são procedimentos pelos quais o bulbo capilar é estimulado, promovendo a multiplicação das células da região.

Conclusão sobre calvície feminina

A calvície feminina é uma condição caracterizada pela rarefação dos fios, que se apresentam cada vez mais finos. Em alguns casos, o couro cabeludo na região do topo da cabeça pode ficar em evidência.

Existem diversas opções de tratamento para a calvície feminina, incluindo medicamentos, suplementos, procedimentos mais complexos, entre outros.

Vale lembrar que a calvície é uma condição que não possui uma cura, mas que pode (e deve) ser tratada, de modo que seus efeitos sejam minimizados.

Para um tratamento mais eficaz, esteja atenta aos primeiros possíveis sinais da calvície. Considere uma avaliação profissional, de modo que seu quadro possa ser analisado e intervenções possam ser adotadas.

Esperamos que tenham gostado de nosso artigo sobre calvície feminina. Não se esqueça de nos deixar seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close