Deficiência de ferro e calvície: qual a relação?

Você sabe o que é ferro e porque ele é importante para o nosso organismo? O que a falta de ferro pode causar? Nesse artigo falaremos tudo sobre o ferro e se há relação entre deficiência de ferro e calvície.

Resultado de imagem para Deficiência de ferro e calvície: qual a relação

O ferro

Este elemento químico conhecido como Ferro, simbolizado pelo Fe, é um dos que contam com história mais rica dentro todos os da Tabela Periódica. O ferro é um mineral que é encontrado em diversos alimentos e é extremamente importante para o funcionamento do nosso organismo. Ele atua no processo respiratório de transporte de dióxido de carbono e oxigênio e faz parte das enzimas que atuam no processo de respiração celular.

Além disso, o ferro pode ser encontrado em fontes como o feijão, fígado de boi, brócolis, amêndoa, farinha de soja, aspargos, banana, gema de ovo, cereja, peixes, figo em calda, amendoim cozido, mariscos, beterraba, broto de chuchu, avelã e espinafre.

Calvície

A queda capilar é algo normal tanto para homens quanto para mulheres e pode ocorrer a qualquer momento de sua vida. Contudo, é muito importante ficar atento quando a perda dos fios fica fora do normal.

Normalmente perdemos cerca de 100 a 120 fios capilares por dia. Com o avanço de idade, os nossos fios vão ficando cada vez mais finos, podendo até mesmo culminar na calvície. A calvície, ou alopecia, é caracterizada pela queda parcial ou total dos fios capilares, podendo até mesmo afetar outras áreas pilosas do corpo, como os braços e as pernas.

Uma das causas da calvície é a deficiência de ferro, ou seja, a anemia, devido à  ausência de oxigênio no bulbo capilar, o que deixa os fios mais fracos e, assim, tendem a cair.

Qual a relação entre a deficiência de ferro e calvície?

Os nutrientes são essenciais para manter os fios capilares mais saudáveis, fortes e brilhantes. Logo, podemos afirmar que há uma relação entre a deficiência de ferro e calvície. Tanto o excesso quanto a falta de ferro podem causar sérios problemas ao nosso organismo. O excesso é conhecido como hemocromatose e a deficiência é conhecida como a já citada anemia.

Para identificar se está em falta desse mineral no organismo, os sinais mais comuns são: desânimo, cansaço excessivo, sono frequente, inchaço nas articulações, dificuldade de atenção ou aprendizagem, pele pálida, falta de apetite, alterações no paladar, infecções constantes por conta da imunidade baixa e até mesmo há relação entre a deficiência de ferro e calvície.

A deficiência de ferro pode ser identificada por meio de exame de sangue, dosando uma substância chamada de ferritina que é responsável pelo armazenamento celular do ferroem nosso organismo.

Quando o nosso organismo fica com baixa concentração de ferro, o corpo acaba suprindo esta necessidade tirando-o de partes menos importantes, como o folículo piloso, por exemplo. Desta forma, pode-se relacionar a deficiência de ferro e calvície.

Um fio demora cinco anos para crescer antes de cair e nascer outro no mesmo lugar para iniciar um novo ciclo. No caso da deficiência de ferro e calvície, o ciclo de vida dos cabelos fica menor podendo afetar diretamente na capacidade de crescimento capilar, podendo ainda mudar a espessura dos fios e deixando-os mais frágeis.

Um estudo demonstrou que 59% das mulheres que tinham uma queda excessiva de cabelo, estavam com falta de ferro no organismo, comparado ao restante delas. É importante saber se você tem predisposição genética que faz perder cabelos de forma excessiva, pois eles têm um processo acelerado devido à baixa de ferritina.

A queda por conta da relação entre a deficiência de ferro e calvície pode ser algo facilmente reversível e para isso pode ser feito um tratamento com suplementação ou alimentação rica em ferro. Os alimentos com mais ferro são:

  • carne vermelha;
  • coentro;
  • feijão;
  • couve;
  • grão de bico;
  • brócolis;
  • espinafre;
  • lentilha;
  • quinoa;
  • ervilha;
  • aveia;
  • sementes de abóbora e gergelim;
  • castanha de caju;
  • damasco;
  • uva passa, entre outros.

Lembrando que, no caso de suplementos, não se deve se automedicar, pois isso pode piorar o quadro.

Há também outros tipos de cuidados que devem ser tomados para a queda capilar relacionada à deficiência de ferro, assim como: evitar o consumo excessivo de cafeína, laxantes e bebidas alcoólicas.

Outra dica é a de não incluir na mesma refeição rica em fontes de ferro, alimentos que sejam ricos em cálcio, pois esse elemento prejudica a absorção do ferro.

O recomendado é consultar um médico especialista em calvície para realizar o diagnóstico e orientá-lo sobre o melhor tratamento. Em casos graves de deficiência de ferro e calvície, como a anemia, é necessária a internação para que o paciente tome ferro pela veia ou receba uma transfusão de sangue. Quando não há cuidados necessários para superação da anemia, a doença pode causar complicações assim como a redução da capacidade de aprendizado e  diminuição da produtividade no trabalho.

Gostou do artigo sobre a relação entre deficiência de ferro e calvície? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close