Calvície e hábitos alimentares: qual a relação?

Os avanços científicos mostram que a cada ano que passa, a população está se alimentando pior. Pois, estamos na era do fast food, onde é possível fazer compras de nossas guloseimas preferidas através de um celular ou computador. Mas que riscos à saúde isso pode trazer? E quando se trata de queda de cabelos, calvície e hábitos alimentares, o que se sabe sobre isso?

É o que vamos descobrir neste texto de hoje que fala sobre calvície e hábitos alimentares e a relação que há entre eles. Vamos lá?

Calvície e hábitos alimentares: qual a relação?

Calvície e hábitos alimentares

Em vários estudos apontou-se uma vasta ligação entre a calvície e hábitos alimentares. Pesquisadores da Universidade de John Hopkins, nos Estados Unidos, têm se aprofundados sobre o tema.

Em estudos recentes, eles publicaram uma série de artigos mostrando que o aparecimento precoce de fios brancos, inflamações cutâneas e intensa queda de cabelo estão estreitamente ligados a alimentos ricos em gorduras.

Utilizando ratos como cobaia, eles perceberam que os que se alimentavam com muita gordura desenvolveram vários problemas como o branqueamento dos fios, e foi possível também observar que várias feridas pelo corpo começaram a aparecer repentinamente.

Para que essas observações fossem comprovadas dividiram os ratos em dois grupos, onde ambos fizeram dietas diferenciadas: uma normal e outra chamada oriental, rica em gordura e colesterol. Os dois grupos foram alimentados em suas respectivas dietas entre a 12ª e 20ª semanas de vida.

Ao longo de oito semanas, os ratos que faziam a dieta oriental apresentaram pelos brancos e algumas feridas cutâneas por toda pele. Ao prolongar a dieta oriental em até 36ª semana, os resultados ficaram ainda mais evidentes, pois, depois desse período, 75% dos ratos apresentaram pelos brancos e lesões pela pele.

Tratamentos para queda de cabelo resultante da má alimentação

O estudo feito acima também testou possíveis tratamentos para os problemas que relacionam calvície e má alimentação.

Foi testado um composto capaz de reverter esses efeitos: o D-threo-1-phenyl-2-decaynolamina-3-morfolino-1-propanol (D-PDMP). O D-PDMP é um composto experimental capaz de bloquear a produção de certas gorduras chamadas glicoesfingolipideos (GSL).

Os GSLs são os principais componentes das membranas celulares existentes na pele e em outras partes do corpo. Também são participantes da tonalidade da pele e da cor dos olhos.

Por serem lipídeos estão associados à aterosclerose, doenças cardíacas e derrame cerebral.

Na pesquisa nos dois grupos com dietas diferenciadas, eles receberam D-PDMP entre a 20ª e 36ª semanas. Compostos estes que eram dados aos ratos através de cápsulas ou através da água.

Então, para a surpresa dos cientistas, os ratos que receberam os medicamentos obtiveram a reversão dos pelos brancos por pelos escuros e também a cicatrização das feridas do corpo.

Além disso, também observaram que os ratos que receberam cápsulas de um miligrama de D-PDMP, neles elas foram tão efetivas quanto 10 mg/kg do mesmo remédio. E isto mostrou que o D-PDMP em cápsula é a melhor solução para tratar organismos acometidos com os males citados.

Observação geral sobre o estudo realizado

Os estudos que observamos podem facilmente mostrar a relação que há entre calvície e hábitos alimentares. Conhecendo essa relação é possível obter tratamento eficaz, porém, os estudos feitos com ratos que comprovaram que a má alimentação pode causar sim a queda de cabelo, ainda estão em fase de teste.

Pois, como foi dito, especialistas afirmam que ainda não é possível saber se os mesmos resultados podem ser possíveis em humanos, uma vez que os ratos possuem muita diferença biológica em detrimento a nossa.

A pesquisa feita pelo John Hopkins mostra  a possibilidade de haver queda de cabelo por dieta a base de gordura. Além disso, a pesquisa também mostrou que calvície e hábitos alimentares, como, por exemplo, uma dieta rica em colesterol ruim e gorduras afins, podem fazer com que apareçam os fios brancos e inflamações cutâneas em todo corpo.

Também afirmam que não há evidência de que o D-PDMP seja seguro para uso em humanos.

Calvície e hábitos alimentares deve ser revista por todos, pois o melhor remédio ainda é a prevenção, mesmo depois dos cientistas apresentarem o D-PDMP como medicação promissora.

Prevenção é o melhor caminho

Calvície e hábitos alimentares está mais que comprovada que há relação entre elas e se trata de uma infinidade de acontecimentos biológicos que contribuem para o aparecimento até mesmo de fios brancos, inflamações cutâneas e queda de cabelo.

A ciência busca se aprofundar em novos estudos que possam solucionar o problema da queda de cabelo e calvície. Estudos como esse do John Hopkins, podem ajudar a orientar futuras descobertas e até mesmo evitar a progressão da calvície.

Nesse sentido, hábitos saudáveis é o melhor caminho para evitar o aparecimento da calvície e outros problemas relacionados à má alimentação.

Assim, nunca abra mão de hábitos alimentares saudáveis, procure cultivar uma dieta balanceada livre de excessos de gorduras. Prefira legumes, frutas, sucos naturais e etc., em vez de fast food. Sua saúde agradecerá.

Terminamos mais um texto e esperamos que tenham gostado das informações que trouxemos sobre calvície e hábitos alimentares: qual a relação? Para qualquer dúvida ou sugestão deixe um comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close