Existe calvície na adolescência?

Muitos ainda pensam que a alopecia (calvície) acontece somente na fase adulta. Porém, não é bem assim. Hoje, mostraremos que calvície na adolescência pode também ser comum. Não deixe de nos acompanhar.

Existe calvície na adolescência?

Calvície na adolescência

A calvície na adolescência, mesmo que em casos raros, pode acontecer. E existem vários fatores que podem levar ao aparecimento desse problema, como a alimentação, questões hormonais, condição da pele etc.

Ao perceber que os cabelos estão começando a ficar mais ralos e finos, é importante procurar imediatamente um especialista no assunto.

Causas da calvície em adolescentes

Existem casos de adolescentes que herdaram de seus pais esse problema, a chamada “calvície hereditária”.

Alguns adolescentes masculinos com idade a partir de 13 anos, já apresentam queda de cabelo e as famosas entradas de calvície. E estes quando chegam aos seus 20, estão com quase 40% dos fios na cabeça. São casos raros, porém reais.

Outras causas podem ter a ver com alimentação desregrada ou até mesmo doenças que ainda não foram diagnosticadas. O uso de anabolizantes é outro fator que pode desencadear a calvície em adolescentes. Na puberdade há cargas exageradas de hormônios (testosterona, GH entre outros) e afetam tanto a parte emocional como o organismo como um todo. Durante esse processo de crescimento, pode haver desequilíbrios hormonais, que podem trazer tantos problemas de saúde como calvície.

Cabelo

Antes de entrarmos mais a fundo no assunto, é importante saber do que o cabelo é composto. Basicamente, o é formado por uma proteína chamada queratina, minerais – ferro, selênio e zinco –, vitaminas A, C e D e complexo B.

Os fios podem ser divididos em:

Haste: parte do fio que fica fora da pele;

Folículo: porção que está dentro da pele.

O bulbo capilar, localizado na sua parte inferior, é o local responsável pela produção tanto do pelo quanto da melanina, pigmento que dá cor ao cabelo.

Normalmente, em um adulto com saúde estável, caem entre 100 a 150 fios por dia, Se esse número foi maior, se você perceber ‘chumaços’ com recorrência, há algo de errado, procure um médico.

Agora, os fatores que podem levar a calvície na adolescência:

Alimentação

Hoje, com a correria do dia a dia, é comum jovens fazerem suas refeições longe de casa por falta de tempo ou disponibilidade de horário. E isso pode fazer com que não ingiram os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Dessa forma, o cabelo acaba sendo enfraquecido, pois há evidente falta de vitaminas. E isso gera queda e posterior calvície.

Saúde comprometida

Alterações hormonais, como doenças na tiroide, podem interferir no crescimento dos fios e aumentar sua queda.

Em mulheres, por causa do grande fluxo durante a menstruação, pode ocorrer a síndrome dos ovários policísticos. Graças ao aumento da circulação de hormônios masculinos, uma das consequências mais evidentes é, sem dúvidas, calvície.

O lúpus também pode desencadear a calvície na adolescência e o comprometimento capilar.

Medicamentos em geral

Muitos remédios contêm ingredientes que podem trazer efeitos colaterais, como a queda de cabelo. Exemplo disso, os medicamentos usados na quimioterapia, onde é comum observar a perda total dos fios na maioria dos pacientes.

A queda também pode ser observada em adolescentes em uso de remédios para tratamento de acne, perda de peso ou depressão, dentre muitos outros.

Procedimentos estéticos

Tinturas, alisamentos, mechas e luzes são procedimentos que pode danificar os cabelos, mesmo que por um curto espaço de tempo.

Alopecia androgênica

Segundo estudos, a calvície, também chamada alopecia androgenética, é a causa mais comum calvície na adolescência.

Tal condição é provocava em pessoas com pré-condições genéticas. Isso pode causar problemas maiores, principalmente nos meninos, que desenvolvem depressão, baixa autoestima, perda de confiança e têm sua vida social abalada.

Segundo estudos, o número de adolescentes que sofrem com calvície tem aumentado a cada ano.

Com a moda fitness, esse problema tem se agravado, pois muitos procuram por resultados rápidos e decidem fazer uso de anabolizantes sem acompanhamento médico.

O ideal é ter um acompanhamento médico adequado para cada problema.

Agradeço sua leitura sobre nosso assunto de hoje, no qual falamos sobre “existe calvície na adolescência?”. Participe de nossa página deixando sua pergunta para nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close