Transtornos alimentares e calvície: qual a relação?

Você sabe o que é transtorno alimentar? E sabe o que é calvície? Já parou para pensar se existe uma relação entre eles? Nesse artigo falaremos tudo sobre a relação entre os transtornos alimentares e calvície. Quer saber mais? Então, continue a sua leitura!

Transtornos alimentares e calvície: qual a relação?

O transtorno alimentar

Os transtornos alimentares são definidos pelas alterações na maneira de se alimentar, geralmente isso acontece devido à uma preocupação excessiva com o próprio peso e com a aparência corporal. Eles podem ter aspectos como passar diversas horas sem se alimentar, utilizar laxantes com frequência e evitar sair para comer em locais públicos.

Tal condição pode causar problemas graves nos rins, coração e até mesmo causar a morte. De forma geral, os transtornos alimentares afetam mais as mulheres, principalmente na adolescência, e costumam estar ligados a problemas como depressão, ansiedade e utilização de drogas.

Os principais transtornos alimentares são:

  • Anorexia: que é quando a pessoa vê o seu corpo sempre com excesso de peso;
  • Bulimia: episódios frequentes de compulsão alimentar onde ocorre o consumo de grandes quantidades de comida, seguido de comportamentos compensatórios, como provocar o vômito;
  • Ortorexia: preocupação exagerada com o que se consome com o controle excessivo de calorias e qualidade;
  • Compulsão alimentar: se alimentar de forma exagerada, mesmo quando não se tem fome e dificuldades para parar de comer;
  • Vigorexia: conhecida como transtorno dismórfico muscular ou Síndrome de Adônis, ela é definida pela obsessão em ter o corpo ideal, levando a prática de exercícios físicos exageradamente;
  • Transtorno Alimentar Noturno: definido pela falta de apetite pela manhã, compensada por um grande consumo de comida durante a noite e insônia.

A calvície

A calvície é definida pela perda parcial ou total dos fios capilares, incluindo outras partes do corpo que possuem pelos. Normalmente, perdemos cerca de 100 a 120 fios capilares por dia que são substituídos por outros fios no mesmo folículo para dar inicio a um novo ciclo de crescimento.

Além disso, com o avanço da idade, os fios ficam mais finos e o crescimento tende a ficar mais lento, podendo até mesmo parar e resultar em calvície. A calvície afeta tanto os homens quanto as mulheres, há diversos tipos e causas, como a relação entre os transtornos alimentares e calvície e cada um possui um tratamento adequado.

Qual a relação entre transtornos alimentares e calvície?

Quando se possui um transtorno alimentar, qualquer nutriente pode estar em falta. Portanto, os principais nutrientes que relacionam transtornos alimentares e calvície são: proteínas, vitaminas, a falta de água e minerais.

Quando o organismo do individuo é mal nutrido, como ocorre devido à um transtorno alimentar, o estoque de nutrientes no organismo se torna deficiente.

Nesse caso, o organismo começa a se preocupar em garantir a manutenção das funções vitais como o funcionamento dos órgãos. Quando a produção de fios é interrompida caracteriza-se a fase de repouso do cabelo, também conhecida como fase telógena.

Nesse ponto, após a interrupção do seu crescimento, o fio acaba desprendendo-se do couro cabeludo e, em consequência, ocorre o excesso da queda capilar, também conhecido como eflúvio telógeno. Esse efeito é ampliado por outros fatores, como o estresse emocional, psíquico ou até mesmo do próprio organismo ao sofrer várias consequências da ausência de alimentos que podem ser relacionados aos transtornos alimentares e calvície.

Além da queda dos fios, pode-se observar o afinamento difuso, que acaba deixando os fios opacos, quebradiços e ressecados. As alterações capilares provocadas pelos transtornos alimentares e calvície por conta das múltiplas deficiências nutricionais secundárias tendem a ser transitórias. Normalmente, observa-se uma melhora progressiva dos fios por meio da recuperação do equilíbrio nutricional do organismo.

Devido à severidade e complexidade da relação entre transtornos alimentares e calvície, geralmente é preciso de um tratamento mais amplo com uma equipe profissional, incluindo especialistas em transtornos alimentares.

Assim que notar qualquer problema que esteja relacionado aos transtornos alimentares e calvície, consulte um médico o quanto antes para ele verificar e diagnosticar corretamente o nível do seu caso e qual o tratamento mais adequado para o seu caso.

Outros métodos para evitar a queda capilar causada por transtorno alimentar são:

  • Consumir alimentos que sejam ricos em ferro como as carnes vermelhas, leguminosas e fígado;
  • Evitar bebidas alcoólicas e cigarro, pois quando consumimos essas substâncias eles causam a produção de radicais livres que provocam inflamações de alguns tecidos assim como o couro cabeludo;
  • Evitar pentear os cabelos molhados, pois os fios estão mais frágeis e ao desembaraçar podem quebrar ou cair. O mesmo vale na hora de dormir com os cabelos molhados, o couro cabeludo fica abafado e isso provoca a oleosidade e fungos;
  • É recomendado consumir alimentos ricos em minerais e vitaminas como zinco, cálcio, vitamina E, ferro e complexo B.

Gostou do artigo sobre a relação entre transtornos alimentares e calvície? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog. Até a próxima postagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Close