Tricograma: o que é e para que serve o exame?

No mundo da medicina moderna existem muitas formas de fazer os mais diferentes exames para identificar os mais variados problemas de saúde. Isso inclui também, os que são feitos para identificar problemas de saúde até mesmo do nosso couro cabeludo, pois sabemos que nosso corpo é como uma máquina e precisa de cuidados adequados, então porque seria diferente com os nossos cabelos?

E no texto de hoje vamos descobrir o que é tricograma e para que serve o exame. Acompanhe.

Tricograma o que é e para que serve o exame

O que é tricograma?

Trata-se de um dos métodos dentro da medicina para identificar possíveis causas da queda de cabelo. Portanto, o tricograma é um método de análise microscópica do fio de cabelo.

A realização desse exame é feita com amostras de fios de cabelos, onde são retiradas faixas com 50 a 100 fios, a partir daí são separadas uma em cada lâmina e são levadas até o microscópio para serem analisadas.

Mas para que serve esse exame?

O objetivo desse exame é observar de forma minuciosa os fios de cabelo da raiz até as pontas para descobrir as possíveis causa da queda de cabelo de uma pessoa. Mas sua observação se dá principalmente na raiz dos cabelos.

Além disso, esse exame permite também saber sobre a saúde dos fios observando em qual fase de seu ciclo ele se encontra. Dessa forma, é possível que o especialista saiba qual a quantidade de fios presente em determinada fase do qual o cabelo se encontra.

O tricograma normal apresenta as seguintes porcentagens de fios em cada fase:

  • Anágena: 85% – 95%
  • Catágena: 0% – 1%
  • Telógena: 5% – 15%

Sabe-se que na fase de criança, uma pessoa possui maior porcentagem de fios (95% anágena x 5% telógena).

Agora, em uma observação por sexo, mulheres na fase adulta possuem maiores porcentagens (86% anágena x 11% telógena) do que os homens (83% anágena x 15% telógena).

Porém, algumas alterações ou problemas que podem surgir em determinada idade podem interferir no ciclo dos fios. Essas taxas podem variar, por exemplo, o eflúvio telógeno, uma das principais causas de queda de cabelo em homens e mulheres.

O diagnóstico de eflúvio telógeno é clínico, sabendo que o exame de tricograma seria o melhor a ser usado para essa confirmação, porém ele é dificilmente solicitado por médicos especialistas.

Exame tricograma

O tricograma é um exame popular, por isso poucos médicos se dispõem a utilizá-lo. Talvez, seja pela falta de habilidade em arrancar um mexa com os números adequados de fios de uma só vez.

Outro fator seria o desconforto por parte do paciente ao ser submetido ao ato desconfortável em arrancar fios de uma área de sua cabeça que já está com falhas de cabelo. É até compreensível que pacientes que estejam sofrendo com quedas de cabelo queiram que a queda de cabelo cesse e não que caiam ou que sejam arrancados mais ainda.

Com isso, torna-se mais difícil ainda realizar o exame, por isso poucos são os que aceitam tal exame. Fora que o preparo para a sua realização não é nada fácil.

Por exemplo, quem vai se submeter a esse exame não deve lavar os cabelos três dias antes para não estimular a queda de fios que estão na fase de queda. Assim também como tratamentos com cosméticos, chapinhas, alisamentos e outros devem ser evitados em até oito semanas antes do exame.

A ideia que os especialistas pregam é de que os cabelos ao serem submetidos a certos tratamentos de beleza se torna quase impossível analisar a estrutura dos fios dos cabelos.

Além disso, o exame de tricograma é ainda limitado, no que diz respeito à impossibilidade de avaliar a pele do couro cabeludo.

Outros casos que levam a queda de cabelo estão relacionados aos processos inflamatórios da pele, onde, nesse caso, é fundamental a análise do processo inflamatório ao redor do fio, sendo a biópsia por punch a melhor opção.

Com o desenvolvimento da medicina nos dias atuais é possível utilizar outros tipos de exames, fazendo com que o tricograma seja deixado para último caso. A tricoscopia é um bom exemplo.

Tricograma x tricoscopia: qual o melhor exame?

Desde que a dermatoscopia do fio ao couro cabeludo começou a ser usada, ela está tornando cada vez mais utilizada na investigação dos problemas capilares.

Através de lentes superpotentes que amplificam as imagens em tamanho real é possível analisar detalhadamente o couro cabeludo e fios de cabelo. Além de o exame facilitar as análises dos fios e do couro, ele ainda facilita e seguimento e a comparação de resultados.

Ao ser realizado, ele reduz o risco de erro nos diagnósticos evitando assim que o paciente se submeta a exames que necessitem de cortes ou sangramentos.

Um estudo realizado em 2012 mostrou que a tricoscopia é mais eficaz em mulheres. Porém, é importante ressaltar que a tricoscopia ainda é um exame muito limitado.

Isso porque a tricoscopia só permite as observações fora do couro cabeludo, diferentemente do exame tricograma.

Sendo assim, os exames que necessitam observar as raízes dos cabelos devem ser feitos através do tricograma.

Mas lembra-se que a queda de cabelo geralmente é multifatorial.

Aí está a importância de frequentar uma clínica profissional caso haja alguma alteração na vida útil de seus fios.

Obrigado por ler esse texto sobre tricograma: o que é e para que serve? Deixe sua dúvida ou comentário para nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close