Frizz e calvície: qual a relação?

Você sabe o que é frizz? São aqueles fios arrepiados que transforma qualquer penteado em “bad hair day”. Sabe se há alguma relação do frizz com a calvície? Neste artigo falaremos tudo sobre a relação entre frizz e calvície.

Frizz e calvície: qual a relação?

A calvície

Normalmente, uma pessoa perde entre 50 e 100 fios por dia, e sempre são substituídos por outros no mesmo folículo, dando início a um novo ciclo. Porém, com o avanço de idade, principalmente na velhice, esse processo tende a ficar mais lento e até mesmo parar, resultando em calvície.

Conhecida também como alopecia, a calvície é uma condição definida pela diminuição parcial ou total dos fios capilares, podendo afetar outras áreas do corpo que têm pelos. A calvície pode afetar homens e mulheres, sendo mais frequente no sexo masculino. Existem diversos tipos de calvície e vários motivos. Fatores como hereditariedade, mudança hormonal, cuidados impróprios com os fios, dieta, medicamentos, estresse e certas doenças podem causar a queda capilar. A calvície não tem cura, porém há tratamentos. É preciso consultar um profissional o quanto antes (alguns casos são irreversíveis) para que indique o melhor tratamento, a depender do caso.

O que é frizz?

Trata-se daqueles fios arrepiados, que podem aparecer em vários hábitos do seu dia a dia, mesmo que de forma involuntária, desde o ato de pentear os cabelos ou torcê-los com a toalha. O ressecamento da fibra capilar é causado pela falta de hidratação, e o atrito entre eles resulta-se no frizz, ou seja, em fios indisciplinados. Os fios mais finos e curtos acabam perdendo o seu peso e são mais “rebeldes” que os demais.

Além desses erros, há outros que podem prejudicar os fios e causar o frizz, como lavar os fios com água quente, utilizar o secador de forma incorreta – muito quente e muito próximo à raiz –, expor os cabelos à umidade e chuva sem proteção, genética e excesso de máscaras de tratamento.

Para combatê-lo, primeiramente é preciso reconhecer os fatores que causaram o seu aparecimento. Por exemplo, se foi por conta de xampus, é recomendado escolher produtos que contenham componentes surfactantes catiônicos, não iônicos e anfóteros em suas fórmulas. . Esses compostos ajudam a reduzir os efeitos da geração de eletricidade estática provocada pelos xampus. Além disso, a redução do atrito também minimiza os danos aos fios, contribuindo para a redução do frizz.

Outro recurso que pode ser utilizado para combater o frizz, além de diminuir o atrito, melhorar a penteabilidade e desembaraçar o cabelo, são os condicionadores e cremes ‘leave in’. Estes produtos atuam neutralizando a carga elétrica negativa do fio e lubrificando a sua cutícula, reduzindo os danos. Além disso, produtos à base de dimeticona podem reduzir o efeito da umidade do ambiente.

Por fim, hábitos como chapinha, luzes, escovação excessiva e progressiva causam danos aos fios – e devem ser evitados. É preciso evitar puxar os fios ao penteá-los, não esfregar os fios na toalha após o banho, manuseá-lo com delicadeza e devagar, principalmente quando os fios estão molhados, que é quando estão mais frágeis.

Evite utilizar ferramentas de calor. Porém, caso queira utilizá-los, a dica é usar protetores termoativados, pois eles criam uma película protetora em torno da estrutura do fio e evita a formação de frizz. Um bom truque é finalizar os fios com um jato de ar frio para fechar as cutículas.

Outra dica para evitar o frizz e calvície é utilizar pentes ou escovas de madeira, pois os de plástico deixam os fios arrepiados. A madeira, por sua vez, é um material neutro, por isso ajuda a combater o frizz.

Será que há alguma relação do frizz e calvície? Veremos a seguir.

Qual a relação entre frizz e calvície?

Não por acaso, cabelos sem frizz são vistos como sinônimo de fios saudáveis. Isso porque o frizz pode ser um sinal tanto de queda acentuada quanto de calvície. Em caso de queda, a percepção do estado dos fios se deve a grande quantidade de unidades de fio mais curtas, que aparecem após a queda.

Pessoas com calvície tendem a apresentar vários fios finos e curtos, resultado de um processo de encurtamento e afinamento progressivo conhecido como miniaturização. Um dos primeiros sinais que podemos relacionar os aspectos de frizz e calvície, é quando há dificuldade em “assentar” o cabelo. Assim, as cutículas nunca se unem e deixa o cabelo mais exposto a agressões.

Por essas razões, é possível relacionar frizz e calvície e, caso persista, mesmo com cuidados adequados, é preciso procurar um médico especialista para diagnosticar e tratar essa situação o quanto antes. O profissional analisará toda a estrutura dos fios e identificará quais são os fatores associados ao frizz e calvície.

Gostou do artigo sobre a relação entre o frizz e calvície? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close