Queda de cabelo é epidemia?

Muitos especialistas afirmam que a queda de cabelo tanto em homens quanto em mulheres tem se intensificado e, segundo eles, o problema vai se intensificando cada vez mais, podendo evoluir até mesmo para uma epidemia global.

E sobre o tema “queda de cabelo é epidemia” que vamos falar neste texto. Quer descobrir mais sobre este assunto? Então fique com a gente.

Queda de cabelo é epidemia

Causas da queda de cabelo

Todos os estudos feitos para entender melhor a queda de cabelo, qual a forma que se dá essa queda ou até mesmo suas causas tentam explicar em detalhes todas as possíveis causas da alopecia na qual ouvimos falar tanto.

Mas observando a frequência com que a queda de cabelo acontece, dá pra se ter uma ideia do tamanho do problema que temos.

Por meio de dados de pesquisas feitas observando a quantidade de pessoas que sofreram ou sofrem com esse problema em determinado período da história. Tendo em vista idade, sexo, classe social, o que se pode perceber é que as porcentagens do número de pessoas que sofrem com esse mal têm aumentado a cada década que passa.

Na literatura da medicina, podemos observar que as causas da alopecia são inúmeras, tais como:

  • Estresse
  • Doenças como depressão, lúpus etc.
  • Falta de vitaminas e minerais
  • Fungos
  • Câncer
  • Uso de certos medicamentos
  • Dietas restritivas
  • Uso de anticoncepcionais com bastante tempo
  • Uso frequente de bonés e chapéus
  • Fumo
  • Entre outras

Ciclo natural dos fios

Os fios de cabelo também têm seu “prazo de validade”. Ou seja, os fios de cabelo têm seu próprio ciclo de vida no couro cabeludo. O normal é que os fios nasçam, cresçam e, chegando seu tempo, a sua queda é inevitável.

Porém, se essa queda está se dando de maneira mais acentuada é necessário que se procure imediatamente um médico especialista no assunto para que o mesmo possa indicar o melhor tratamento.

Alimentos podem ser a causa do aumento da queda de cabelo?

A queda de cabelo é epidemia? Bom, para responder a essa pergunta, vamos analisar alguns dados.

Nos últimos anos, as indústrias alimentícias têm aumentado sua produção de alimentos, e o principal fator é o aumento populacional. Dados afirmam que a população mundial aumentou nas últimas décadas de maneira desenfreada de 3,032 bilhões em 1960 para 7, 53 bilhões em 2017. Mas o que isso significa?

Significa dizer que quanto mais pessoas no planeta, mais o consumo de alimentos aumentará. Então, como fazer para conseguir suprir essa demanda? É o que vamos ver a seguir.

O uso de hormônios e medicamentos em animais de abate

Todos nós já ouvimos falar sobre o uso de hormônios em animais como suínos, bovinos, ovinos e aves. Isso acontece para que o animal esteja pronto mais cedo para o abate, pois, fazendo uso de medicamentos, esse animal ficará maior e pronto para ser consumido em muito menos tempo. Aumentando, assim, a produção e, consequentemente, o lucro das empresas alimentícias.

Mas o que isso tem a ver com o tema “queda de cabelo é epidemia”? Simples, com o consumo de carnes, que receberam tratamento com hormônios, o consumidor recebe, de certa forma, uma grande carga de hormônios provenientes do animal, o que pode, mais tarde, alterar seu organismo como um todo. Consequentemente, o corpo sofrerá determinadas mudanças.

Como exemplo disso podemos perceber esses acontecimentos nos adolescentes de hoje que entram na puberdade cada vez mais cedo. Isso se deve a grande carga de hormônios que estes recebem por meio da alimentação.

Alterando o corpo como um todo, o ciclo capilar também é afetado. Como exemplo podemos citar um jovem que tem em sua carga genética a calvície que poderia se manifestar depois dos 30 anos de idade, porém, com alteração e influência hormonal vindas de alimentos, a calvície pode se manifestar bem antes do esperado. Quando comparado ao pai desse jovem, percebemos que sua calvície será bem mais extensa.

Aqui no Brasil o uso de hormônio em animais de abate é proibido, porém os materiais químicos encontrados nos medicamentos usados para esse fim podem conter aditivos tão nocivos à saúde quanto aos hormônios, e podem trazer o mesmo efeito nos cabelos ou até pior, afirmam especialistas. Assim, a queda de cabelo é epidemia? De certa forma, sim.

Queda de cabelo é epidemia?

A correria e o estresse do dia a dia causam o consumo de alimentos inapropriados, falta de descanso, sedentarismo, alimentos alterados geneticamente e uso de antibióticos com elementos químicos em sua composição. Então, com tudo isso alterando todo o organismo, fazendo surgir vários problemas de saúde, podemos, de certa forma, afirmar que a queda de cabelo é epidemia sim.

A queda de cabelo é epidemia pela junção dos fatores citados em estudos e comprovados cientificamente. A ação direta ou indireta dos fatores mencionados podem sim afetar até mesmo o ciclo capilar.

O que fazer?

Bom, já sabemos que a queda de cabelo é epidemia, certo? Então, o que fazer para não entrar nesse ranking de sofrer com uma queda de cabelo indesejada?

O ideal é que nós nos alimentemos de tudo que é natural ou mais próximos destes. Alimentos como comidas integrais e orgânicas são ótimas escolhas para se ter uma vida mais saudável.

Obrigado por ler até o final nosso texto, no qual falamos sobre “queda de cabelo é epidemia?”. Esperamos ter contribuído para sua informação. Deixe suas perguntas para nossos especialistas nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close