Remédios manipulados e calvície: uma solução?

A calvície é um problema que pode afetar tanto homens quanto mulheres. Será que os medicamentos manipulados podem ser uma solução para quem sofre deste problema? Neste artigo falaremos tudo sobre a calvície e também sobre a relação entre remédios manipulados e calvície.

Remédios manipulados e calvície: uma solução?

A calvície

Normalmente, perdemos entre 50 a 100 fios capilares por dia e, sempre que um fio cai, ele é substituído no mesmo folículo. Porém, com o passar dos anos, principalmente na velhice, o crescimento dos fios tende a ser mais lento, podendo até mesmo cessar, o que acaba resultando em calvície.

Conhecida também como alopecia, a calvície é caracterizada pela diminuição parcial ou total dos fios capilares, podendo afetar até mesmo outras áreas do corpo que tem pelos, porém mais perceptível no couro cabeludo.

Há diversos fatores que podem causar a calvície, assim como hereditariedade, cuidados impróprios com os cabelos, mudança hormonal e até mesmo estresse.

Os tipos de calvície

Além das causas citadas acima, as principais são:

  • Eflúvio telógeno: perda intensa e progressiva dos fios capilares após doenças febris ou crônicas, parto, estresse emocional, entre outros. Não chega a ser calvície total, porém o cabelo é escasso e apresenta um aspecto muito liso;
  • Areata: sua causa é desconhecida. A calvície areata apresenta-se em forma de círculos no couro cabeludo e também pode se estender a outras áreas do corpo. Essa queda capilar afeta por igual em homens e mulheres, independente da sua faixa etária. Em determinados casos pode levar à completa perda capilar, mas pode voltar a crescer; e
  • Androgenética: conhecida como “calvície comum”, a androgenética é caracterizada pela perda de fios difusa na região frontal do couro cabeludo e do vertéx em homens e da linha média do couro cabeludo em mulheres. Este tipo de calvície está associado ao estimulo androgênico de cada um; inicia-se após a adolescência e em adultos jovens.

A calvície não tem cura, entretanto, há tratamentos que podem proporcionar alguma melhora àquele que sofre com esta condição.

Remédios manipulados e calvície: uma solução?

Há que se considerar diversos fatores. Antes de estar disponível em uma farmácia de manipulação, o remédio passa por várias etapas. O primeiro passo é a descoberta e desenvolvimento do seu principio ativo. Uma vez que esta etapa é concluída, o produto é submetido à regulamentação em agências de saúdes governamentais.

As substancias novas são patenteadas para que o laboratório farmacêutico tenha exclusividade temporária em sua comercialização com a aprovação dos órgãos de saúde, como a ANVISA. Os medicamentos manipulados, incluindo a relação de remédios manipulados e calvície, seguem outro caminho.

Diferentemente do produto industrializado, o medicamento da farmácia de manipulação é feito por meio de indicações específicas contidas na receita prescrita por um médico responsável.

Dessa maneira, o medicamento pode ter seus componentes, doses e até mesmo características bem variáveis. Mesmo assim, o principal ativo deste tipo de medicamento não é modificado.  E os efeitos não, necessariamente, serão menos potentes.

Mas será que a relação entre remédios manipulados e calvície pode ser uma solução? Se por um lado a manipulação da formula original permite adaptar melhor o produto as necessidades do paciente, por outro lado também faz com que o resultado possa não ser o mesmo que o original. Além da qualidade e dose do principio ativo, a interação com outros componentes e estabilidade da fórmula manipulada pode prejudicar a eficácia do medicamento.

Existem diversas situações que justificam a indicação de remédio manipulado, assim como a falta de disponibilidade do medicamento industrializado e até mesmo a dificuldade de usar medicamentos em forma de cápsulas. O medicamento manipulado precisa compreender as necessidades de cada paciente. Respeitando essas etapas, o medicamento pode atender a diversas demandas dos pacientes.

Quando se fala sobre remédios manipulados e calvície, existem diversas opções conforme a demanda do paciente, assim como o minoxidil. Originalmente, este medicamento oral era utilizado para tratar pressão alta, portanto, o seu uso tópico se tornou a única forma regulamentada para o tratamento de calvície.

Também tem a finasterida, um componente liberado e regulamentado pela ANVISA para uso oral em caso de calvície. Em caso de injetável ou tópico manipulado contendo finasterida, é preciso de regulamentação e comprovação.

Também há vitaminas que podem ajudar em casos relacionados a remédios manipulados e calvície que ajudam a minimizar a queda e promover o crescimento dos fios com brilho e força. A rotina corrida pode dificultar a vida de uma pessoa que deseja manter uma alimentação balanceada, e estas acabam recorrendo a suplementação de vitaminas.

Dessa maneira, a manipulação de compostos com vitaminas está entre as opções que as pessoas mais procuram para ter um cabelo mais saudável. A prescrição das vitaminas em remédios manipulados e calvície precisa ser orientada por meio de diagnóstico médico, que deve identificar quais vitaminas estão em falta no organismo do indivíduo ou que apresenta maior necessidade. Isso porque o uso de vitaminas sem a orientação de um médico pode causar a queda capilar pelo excesso das vitaminas.

Gostou do artigo sobre se há alguma relação e solução entre os remédios manipulados e calvície? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca

Recentes

Arquivos


Close